O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), manteve hoje a defesa de que o PSDB deve realizar prévias em 2009 para a escolha do candidato do partido a presidente em 2010. Aécio informou que pretende, a partir do ano que vem, discutir a proposta com os companheiros da legenda de outros Estados, começando pelo Nordeste, e negou que elabore uma agenda de pré-candidato.

"Eu acho que isso (as prévias) só acrescenta ao PSDB para que nós possamos, pelo instrumento democrático definido pelo partido, definir qual que será o candidato", afirmou.

No entanto, o governador mineiro descartou o apoio à formação de uma chapa pura da sigla para a disputa que, segundo ele, traria "uma pretensão exagerada no seu bojo" e dificultaria a ampliação da coligação que poderia, até mesmo, incorporar as agremiações que participam da base de sustentação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Eu acho que seria difícil ampliarmos essa coligação se nós saíssemos já com a idéia de compormos a chapa com nomes do PSDB. Eu acho que não há necessidade de estarmos juntos numa mesma chapa para ambos estarmos apoiando esse projeto."

Aécio disse que o partido possui o "privilégio" de ter um nome como o governador de São Paulo, José Serra. Mas afirmou: "Nós precisamos construir um projeto, seja Aécio, ou seja Serra, um projeto que seja mais amplo do que o nome dos dois governadores". Para o governador de Minas Gerais, é necessário que a legenda deixe "a discussão personalista, de quem é o candidato, para uma discussão de fundo do que esse candidato representa e o que ele poderá fazer se eleito presidente da República".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.