Aécio irá a Brasília em meio ao racha tucano na Câmara

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), desembarca amanhã em Brasília em meio ao racha da bancada tucana na Câmara dos Deputados. O motivo da dissidência foi a recondução do líder, deputado José Aníbal (SP), para mais um mandato consecutivo.

Agência Estado |

A reeleição foi classificada de ilegítima por 19 dos 57 parlamentares da sigla e o saldo foi a criação de uma ala dissidente, denominada Movimento Unidade, Democracia e Ética.

O governador de Minas não comentou o imbróglio que envolve a bancada federal de seu partido, mas nos bastidores a versão é de que a eleição de Aníbal é mais um round no embate de forças entre os dois pré-candidatos do PSDB às eleições presidenciais de 2010, o próprio Aécio e o governador de São Paulo, José Serra. Depois de ter perdido um importante aliado no ninho do tucanato paulista, com a indicação de Geraldo Alckmin para compor a equipe de Serra, Aécio deu o troco e conseguiu reconduzir à liderança do partido na Câmara um correligionário afinado com a sua candidatura.

Para ficar distante dessa polêmica, o governador não vai se reunir, na viagem que fará a Brasília, com a bancada de deputados federais do PSDB. Ontem, a assessoria de imprensa no Palácio da Liberdade chegou a informar que o governador mineiro teria uma reunião com a bancada. No entanto, em seguida, a assessoria informou que a reunião tinha sido adiada para a próxima semana.

O encontro de Aécio com Lula também vai ocorrer em meio às informações de que o PT começa a definir sua estratégia de oposição ao governo de José Serra. A meta é atribuir uma certa "apatia" do governador paulista em relação aos abalos que a crise financeira vem provocando no Estado que possui um dos maiores pesos na economia do País.

Investimentos

Na pauta da reunião com Lula, Aécio pretende discutir a participação do governo federal no projeto de conclusão e gestão do metrô de Belo Horizonte, além dos impactos da crise financeira global. O governo mineiro defende a adoção de um modelo de Parceria Público-Privada (PPP), considerado mais adequado por não depender exclusivamente de investimentos públicos federais. Uma proposta já foi entregue ao presidente da República e discutido com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que designou equipes da Casa Civil para detalhar o assunto.

A expectativa é de que a participação do governo federal atinja o montante de R$ 2 bilhões e o restante previsto (de cerca de R$ 1 bilhão) seja bancado pelo consórcio vencedor da licitação, prefeitura e governo do Estado. A expansão do metrô é considerada fundamental pelo Palácio da Liberdade para a realização da Copa do Mundo no Brasil, em 2014. O encontro com Lula está previsto para às 11 horas.

Antes do encontro com o presidente, Aécio irá assinar com o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford Sobel, termo de cooperação entre o governo de Minas e a Agência de Comércio e Desenvolvimento dos EUA (USTDA) para projeto de expansão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, no valor de US$ 573 mil. A solenidade acontecerá na Embaixada dos Estados Unidos, às 10 horas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG