continua vivo como líder político - Brasil - iG" /

Aécio: Cunha Lima continua vivo como líder político

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse hoje que a cassação do mandato do governador da Paraíba, o tucano Cássio Cunha Lima, não representa a perda de um aliado importante no Nordeste na disputa interna do partido pela indicação para uma eventual candidatura a presidente da República. Ele continua vivo e uma vigorosa liderança política.

Agência Estado |

Obviamente, é uma decisão do Judiciário que todos temos de respeitar", afirmou o governador.

Ontem, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a cassação do mandato do chefe do Executivo paraibano e de seu vice, José Lacerda Neto (DEM). Eles foram acusados de abuso de poder econômico e político durante a campanha eleitoral de 2006. Cunha Lima teria se envolvido na distribuição de cheques para a população por meio de um programa assistencial.

Embora tenha afirmado que desconhece a profundidade das acusações que levaram à perda do mandato do governador paraibano, Aécio disse que os "equívocos" não irão manchar a trajetória de Cunha Lima como homem público sério e respeitado. "Ele continua sendo uma referência extraordinária no Estado da Paraíba", afirmou.

O governador mineiro voltou a descartar a possibilidade de formação de uma chapa puro-sangue do PSDB na disputa pela Presidência, mesmo com um aceno do governador de São Paulo, José Serra, eventual adversário em uma disputa interna pelas prévias do partido. De acordo com o presidente nacional da legenda, senador Sérgio Guerra (PE), o governador paulista deu sinal verde para a realização da consulta interna. "Eu acho que existem forças políticas que somariam mais do que uma chapa puro-sangue, até porque, no meu caso, se não vier a ser candidato, eu não preciso de um espaço para apoiar o candidato do meu partido. E acho que a recíproca deve ser verdadeira", afirmou.

Aécio defendeu que os pré-candidatos viajem juntos pelo País para defender um novo projeto do PSDB para o período pós-Lula. "Eu pretendo, inclusive, em razão dessas últimas notícias de hoje, até para mostrar que o nosso sentimento de unidade é muito forte, convidar o governador José Serra para andarmos juntos pelo País. Acho que isso seria uma sinalização muito clara de que o PSDB quer construir propostas e que estaremos unidos no momento da eleição, qualquer que seja o nosso candidato."

ICMS

Aécio se reuniu hoje com todo o secretariado e presidentes de fundações e autarquias para discutir a queda na arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Estado nos primeiros dois meses do ano, em razão da crise econômica mundial. Ontem, Aécio disse que houve uma queda acumulada na arrecadação do imposto de cerca de R$ 400 milhões nos meses de janeiro e fevereiro. No ano passado, a receita de ICMS atingiu R$ 22,3 bilhões e, para este ano, a expectativa é de um crescimento de 5,8%, para R$ 23,6 bilhões.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG