O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), criticou hoje o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela não aprovação de uma reforma tributária. Para o governador mineiro, pré-candidato tucano à Presidência, qualquer reforma só será votada no Congresso Nacional caso o Executivo atue vigorosamente, já que no Brasil se vive um presidencialismo quase que monárquico.

"Uma reforma tributária traz contenciosos. Traz contenciosos entre regiões, traz contenciosos entre setores da economia", observou.

Segundo Aécio, ou o governo arbitra e de alguma forma se impõe, ou então a reforma "fica apenas como um gesto de Pilatos: enviei a proposta, não organizo a minha base e se não for aprovada, o Congresso é que não quis'".

O governador disse que já não acredita que a reforma tributária e outras mudanças constitucionais possam ser votadas ainda neste governo. "Na verdade, o governo perdeu alguns bons momentos, melhores do que esse próximo do calendário eleitoral. Reforma constitucional se faz no início de governo e com o governo federal se impondo, mobilizando sua base para que ela seja aprovada", insistiu Aécio, após o lançamento do programa Minas Digital, no Palácio da Liberdade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.