O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse hoje que respeita as afirmações do senador Jarbas Vasconcelos (PE) contra o PMDB, mas criticou a generalização das denúncias, que pode levar a injustiças. Acho que apontar nomes, apontar fatos específicos seria um passo além da denúncia que atinge a todo um aglomerado partidário.

Portanto, eu respeito as denúncias do senador Jarbas, mas em qualquer atividade, em especial na vida pública, a generalização, a meu ver, pode levar a algumas injustiças", afirmou.

Depois de afirmar, em entrevista à revista Veja , que "boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção" e que "a maioria de seus quadros se move por manipulação de licitações e contratações dirigidas", Jarbas voltou a atacar ontem o próprio partido em discurso da tribuna do Senado. Ele cobrou uma auditoria oficial nos fundos de pensão e disse que "os acontecimentos" na Fundação Real Grandeza "são uma prova clara e inequívoca" das práticas que denunciou. "São afirmações que, obviamente, têm impacto. O senador Jarbas é um homem público extremamente respeitável. Eu apenas temo muito a generalização", reforçou o governador mineiro.

Aécio visitou no final da manhã de hoje as obras da futura sede administrativa do governo, no bairro Serra Verde, em Belo Horizonte. Com projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer, o complexo de edifícios abrigará toda a administração direta do Estado. De acordo com o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), Oswaldo Borges da Costa Filho, a obra foi contratada por R$ 948 milhões, mas seu custo final, incluindo reajustes e obras complementares, deverá chegar a R$ 1,2 bilhão. Cerca de 50% da obra já foi executada e Aécio disse que em dezembro já passará a despachar da nova sede do governo. Todo empreendimento deverá estar concluído até o início de 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.