O governo mineiro pretende vincular a transferência de receitas voluntárias do Estado ao início, pelas prefeituras, de um processo de implantação de suas Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdescs). A avaliação da administração estadual é que a o número de vítimas em decorrência das chuvas que atingem o Estado poderia ser menor caso os municípios tivessem efetivados seus órgãos de Defesa Civil.

"Estamos passando uma determinação aos prefeitos municipais e aqueles que não instalarem as suas coordenadorias - inclusive com treinamento feito pelo governo do Estado, sem qualquer custo para as prefeituras - terão dificuldades de receber outros repasses do governo do Estado", afirmou hoje o governador Aécio Neves.

Em Minas, 603 municípios já criaram Defesas Civis, mas em apenas cerca de 150 os órgãos funcionam de fato. "Estaremos dando prioridade à transferência de recursos para os municípios mineiros que tiverem estabelecidas, treinadas e em operação os seus Condecs (Conselhos Nacionais de Defesas Civis), as suas coordenadorias de Defesa Civil. Nós percebemos com muita clareza nessas chuvas que quanto mais organizada estava a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, mais antecipadamente foi feito o alerta e menos problemas ocorreram", disse Aécio.

O governador, que se reuniu hoje com o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), classificou a decisão como uma medida "pedagógica". Após o encontro, os dois fizeram uma visita à Avenida Tereza Cristina, na região oeste da capital.

Situação de emergência

Em Minas, o número de mortos em decorrência das precipitações já superou a média dos últimos anos - de cerca de 20 óbitos no período chuvoso, compreendido normalmente entre outubro e abril. De setembro último até hoje, 23 pessoas já haviam morrido no Estado por causa das chuvas, conforme a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

Deste total, 19 óbitos ocorreram apenas no mês de dezembro. O número de feridos chega a 295. Em todo o Estado, 6.235 pessoas foram desabrigadas e 56.758 desalojadas. As enchentes ainda destruíram 289 casas e 37 pontes. Outras 20.903 casas e 23 pontes foram danificadas. Cinquenta e sete cidades já decretaram situação de emergência e um total de 97 municípios mineiros foram afetados pelas chuvas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.