O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), manteve o mistério em relação à participação formal ou informal do partido na aliança com o PT em torno da candidatura de Márcio Lacerda (PSB) à prefeitura de Belo Horizonte. Essas questões de formalidade ou não, isso é questão para o partido resolver.

Não é uma questão para o governador", disse. Aécio observou, no entanto, que "no caso do PSDB há um grande respeito pelas decisões locais." "No PSDB, não há arrogância de direção nacional. Não há intervenção. No PSDB, há disposição de uma grande construção."

O PSB se tornou o fiel da balança na articulação para a concretização da aliança entre tucanos e petistas em Belo Horizonte. Representantes do Diretório Municipal petista, favoráveis à coligação em torno da candidatura de Lacerda, confiam na estratégia do PSB de vincular o entendimento em Belo Horizonte a eventuais apoios para candidaturas do PT no Rio de Janeiro e em São Paulo. Até o início da próxima semana, o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, deverá se reunir com Aécio e o prefeito Fernando Pimentel na capital mineira. A esperança é que a cúpula nacional petista flexibilize a recomendação para que o PSDB seja afastado da chapa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.