Aécio alega não ter o que dizer à Justiça sobre mensalão

Arrolado como testemunha de defesa no processo do mensalão pelo deputado cassado Roberto Jefferson, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse hoje que encaminhou à Justiça Federal uma resposta em que afirma que não possui elementos para contribuir com a investigação. A informação que eu tive é que o deputado Roberto Jefferson arrolou uma centena de testemunhas, pegou as figuras mais notórias do País para testemunharem sobre o mensalão, disse Aécio.

Agência Estado |

"Eu recebi um comunicado e respondi por escrito que só se pode testemunhar sobre aquilo que se conhece. Não tenho a menor ideia de que contribuição eu possa dar a esse processo."

A 4ª Vara Criminal da Justiça Federal em Belo Horizonte começou a ouvir no início do mês testemunhas que residem na capital mineira, indicadas pelos réus. As audiências no Estado são conduzidas pelo juiz federal Alexandre Buck Medrado Sampaio. Como governador, Aécio tem a prerrogativa de marcar hora e local do depoimento.

A Justiça Federal informou que por esse motivo e pelo fato de o depoimento não ter sido marcado, o nome de Aécio não constava na lista disponibilizada com pouco mais de cem testemunhas. Jefferson também arrolou como testemunha o ex-ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, cujo depoimento está marcado para sexta-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG