Advogados de Pitta e Nahas pedem extensão de habeas ao Supremo Tribunal Federal

BRASÍLIA - Os advogados do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e do investidor Naji Nahas encaminharam, nesta quinta-feira, ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido para que seja estendido aos seus clientes o direito ao habeas-corpus concedido na quarta-feira ao sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, à sua irmã, Verônica, e a nove funcionários do banco.

Redação com agências |

  • Daniel Dantas e mais oito deixam a carceragem da Polícia Federal
  • Fala, internauta! Como você avalia a operação da PF?
  • Entenda a operação Satiagraha da Polícia Federal
  • Saiba quem são os investigados na Operação Satiagraha
  • Saiba quem são Naji Nahas, Daniel Dantas e Celso Pitta

    AE
    Celso Pitta ao ser preso na terça-feira
    Celso Pitta ao ser preso na terça-feira
    O pedido é extensivo também ao filho de Nahas, Fernando Nahas, ao doleiro Miguel Jurno Neto e ao funcionário de Nahas, Roberto Sande Caldeira Bastos. Os pedidos foram encaminhados por fax ao STF e devem ser decididos ainda nesta quinta-feira pelo presidente do Supremo, Gilmar Mendes.

    Dantas, Pitta, Nahas e mais 14 pessoas foram presos pela PF na Operação Satiagraha, deflagrada na terça-feira para desbaratar um suposto esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro ( entenda a operação ).

    Dantas deixa prisão

    Por volta das 5h30 desta madrugada, Dantas deixou a sede da Polícia Federal na Lapa, em São Paulo. O carro no qual o banqueiro saiu do prédio da PF era dirigido por uma mulher, que estacionou o veículo no pátio, onde o banqueiro a aguardava.

    Em vídeo, o momento em que Daniel Dantas é solto


    O ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu o pedido de habeas-corpus na noite de quarta-feira em favor de Dantas e de sua irmã Verônica Dantas. 

    O alvará de soltura também foi concedido a outros sete presos: Daniele Silbergleid Ninnio; Arthur Joaquim de Carvalho; Eduardo Penido Monteiro; Dório Ferman; Itamar Benigno Filho; Norberto Aguiar Tomaz; Maria Amália Delfim de Melo Coutrin. Eles saíram em outros dois veículos, um Corolla Fielder e um Mercedes-Benz com vidros escuros.

    Foram beneficiados por habeas-corpus preventivo Rodrigo Bhering de Andrade e o sócio e vice-presidente do banco Opportunity, Carlos Bernardo Torres Rodemburg, que não chegaram a ser presos.

    Tarso defende Polícia Federal

    Agência Brasil
    Genro volta a defender atuação da PF
    Genro volta a defender atuação da PF
    O ministro da Justiça, Tarso Genro, voltou a defender a atuação da Polícia Federal nesta quinta-feira. Genro disse que a PF não prende sem necessidade e que tem orgulho da corporação, mas evitou criticar a soltura de 11 presos, concedida na noite de quarta-feira pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes ( saiba mais aqui ).

    Os elogios do ministro da Justiça à PF foram feitos em um evento na Academia Nacional de Polícia, em Brasília, onde Genro discursou para autoridades policiais de outros países e mandou um recado sutil aos críticos da instituição dizendo que um regime democrático não sobrevive sem uma polícia comprometida com o Estado de Direito e com o combate à corrupção.

    Tenho orgulho da Polícia Federal por sua retidão, postura republicana e respeito aos direitos humanos, aos direitos civis e individuais, afirmou o ministro perante as autoridades estrangeiras.

    Depois do evento, Genro classificou o discurso como um prestigiamento à ação da PF e não um desagravo. Estamos em um momento importante do País em que não há mais intocáveis. Antes, alguns privilegiados estavam acima da cidadania, eram considerados intocáveis, comentou.

    (*com informações da Agência Estado)

    Leia também:


    Leia mais sobre: PF


    • Leia tudo sobre: dantas

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG