Advogados de Heráclito começam a examinar inquérito da Operação Satiagraha

BRASÍLIA - Os advogados do senador Heráclito Fortes (DEM-PI) examinam, a partir desta quinta-feira (24), o teor do inquérito relativo à Operação Satiagraha, empreendida pela Polícia Federal e o Ministério Público para investigar vários crimes financeiros supostamente cometidos por Daniel Dantas, dono do banco Opportunity, pelo investidor Naji Nahas e por outras personalidades, como o ex-prefeito de São Paulo Celso Pita.

Agência Senado |

Agência Senado
Heráclito Fortes pede punição para delegado
Heráclito pede punição para delegado
O acesso aos relatórios, gravações de áudio e degravações de escutas telefônicas foi autorizado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes. Ele atendeu a pedido do senador, que se sentiu prejudicado em sua imagem por causa da divulgação de trechos de conversas em que seu nome é citado. O parlamentar instruiu seus advogados a analisarem os autos para então decidir se há alguma medida jurídica a tomar - tanto em relação ao inquérito quanto em relação ao vazamento das informações.

Em representação protocolada na terça-feira (22) na Polícia Federal e no Ministério da Justiça, o senador acusa o delegado Protógenes Queiroz, responsável pelo inquérito, de repassar informações à imprensa "de maneira criminosa". Heráclito entende que a divulgação, além de ilegal, por ter como objeto um segredo funcional e de justiça, foi apoiada em interpretações "maliciosas" sobre pretensas ligações do senador com pessoas investigadas.

A avaliação dos autos pelo escritório do advogado Décio Lins e Silva deve levar vários dias, em razão do volumoso material colhido na 6ª Vara Federal Criminal em São Paulo, da qual é titular o juiz Fausto De Sanctis. A parte mais trabalhosa, segundo os advogados, deverá ser a audição dos CDs com diálogos capturados em escutas telefônicas e dos registros, também em mídia eletrônica, das degravações dessas escutas.

A cópia desses CD consumiu a maior parte do trabalho dos advogados, que passaram a terça e esta quarta em São Paulo.

O senador espera ter uma idéia clara do que motivou a menção de seu nome no inquérito, quando voltar ao Brasil, para o reinício dos trabalhos legislativos, em 1º de agosto. Ele participou nesta quarta, em Washington, da solenidade de assinatura de um acordo entre a Prefeitura de Teresina e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a concessão de empréstimo no valor de até US$ 31,1 milhões destinado a ações do Programa Lagoas do Norte.

Leia também:

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG