SÃO PAULO - Marcos Valério Fernandes de Souza, operador do mensalão, recebeu nesta sexta-feira a visita de Jerônymo Ruiz Andrade do Amaral, advogado do PCC, na Penitenciária II de Tremembé, interior de São Paulo. Eles conversaram durante cerca de 40 minutos no parlatório da cadeia.

Não se sabe a pauta da reunião, porque encontros entre bachareis e réus em áreas restritas são protegidos pelo sigilo legal.

Jerônymo não é advogado de Valério. Seus defensores, formalmente constituídos, são os criminalistas Marcelo Leonardo e Antônio Cláudio Mariz de Oliveira. Valério foi preso há 90 dias pela Operação Avalanche, da Polícia Federal, que investigou uma suposta trama para desmoralização de dois fiscais de tributos estaduais de São Paulo que autuaram em R$ 105 milhões uma cervejaria, cujo presidente é amigo de Valério.

Jerônymo e Valério se conheceram na cadeia de Tremembé. O advogado havia sido preso em flagrante em 2 de abril de 2008, sob acusação formal de participação em quadrilha e associação para o tráfico de drogas. Depois, foi removido para Tremembé, onde conheceu Valério, que chegou a essa prisão em 21 de outubro, 11 dias depois de ser capturado pela PF. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: mensalão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.