Advogado de Valente diz que há armação política

O novo advogado de defesa de Celso Valente, José Luiz Oliveira Lima, afirmou que seu cliente nega qualquer participação em operações de venda de cargos na polícia e disse que Valente é vítima de armação política porque tem parentesco com o ex-secretário adjunto de Estado da Segurança Pública, Lauro Malheiros Neto. “Há questões políticas envolvendo esses fatos.

Agência Estado |

Há disputa de cargos e de poder. Eles são primos e foram sócios no passado, mas não atualmente.” Oliveira Lima substitui Mauro Nacif.

O defensor reclamou que ainda não teve acesso aos volumes do processo do Ministério Público. Contou que após “breve conversa” por telefone com Valente já consegue afirmar que a gravação em que seu cliente aparece está editada e os diálogos estão fora do contexto do que foi conversado. “Quando você tem um diálogo de uma fita editada é uma coisa e quando tem o contexto geral disso é uma outra situação. Não é o que está hoje (ontem) no (jornal) Estado.”

O contato entre Valente e o interlocutor da gravação, disse Oliveira Lima, aconteceu depois que um advogado chamado Fulvio se propôs a apresentar um cliente. “Seria esse José Luiz. Ele teve um diálogo com esse advogado e com essa pessoa. Ao término, ele liga para o dr. Fulvio e diz ‘não entendi essa conversa. Essa conversa me pareceu estranha. Quero falar com o senhor’. E não teve um segundo contato com ele.” Com o investigador Augusto Pena os contatos foram “absolutamente profissionais”.

O criminalista Alberto Toron, que defende Malheiros Neto, afirmou que até agora também não teve acesso aos autos do processo. Disse que Malheiros Neto quer e pediu para ser ouvido sobre as denúncias, mas até agora os promotores não demonstraram interesse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG