Adolescente acusado de três assassinatos envolvendo rituais macabros é preso em MS

CAMPO GRANDE ¿ Um adolescente de 16 anos foi detido na madrugada desta quinta-feira em Rio Brilhante, interior do Mato Grosso do Sul, acusado de cometer três assassinatos em série. Todas as vítimas foram encontradas com os braços abertos e as pernas amarradas, em formato de cruz, cultuando uma forma de ritual satânico.

Redação |

Acordo Ortográfico

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, o jovem tem um deus (que seria satã) e um mundo próprios, e tem a certeza de que todas as suas ações foram corretas. Em depoimento, ele não demonstrou arrependimento e contou todos os detalhes de seus crimes aos policiais, sem qualquer tipo de hesitação, exibindo ainda a arma usada em um dos assassinatos.

Das vítimas, Catalino Cardena, de 33 anos, teve o coração perfurado com um canivete e em seu peito foi feita a inscrição INRI, também com o uso da lâmina. Letícia Neves, de 22 anos, foi estrangulada e segundo a assessoria, era homossexual. Ela foi encontrada nua e tinha uma cruz tatuada no busto. Gleice Kely da Silva, de 13 anos, também foi estrangulada e próximo de seu corpo, foi achado um bilhete com várias inscrições e a frase próximo inferno. Havia também vários desenhos de cruz, formando uma meia-lua. O adolescente se referia a todas as vítimas como vadias e afirmava que elas eram impuras, pecadoras.

Na casa do acusado, que mora com a mãe e o padrasto, foram encontradas várias revistas pornográficas, diversas fotos de Francisco de Assis Pereira, o Maníaco do Parque, a blusa de Letícia, o telefone celular de Gleice Kely, o canivete usado para matar Catalino, que ainda possuía resquícios de sangue, além de jornais que falavam sobre os assassinatos cometidos por ele.

Ainda de acordo com informações da assessoria de imprensa, em sua declaração aos agentes, o jovem demonstrou grande admiração pelo Maníaco do Parque, afirmando que pretendia matar mais pessoas que o próprio. Os policiais destacaram que o adolescente tem facilidade em se expressar e possui boa lábia, o que pode ter facilitado a atração das vítimas, já que eles não se conheciam.

O rapaz continua a ser interrogado na Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e à Juventude (DEAIJ) e, posteriormente, será encaminhado para a Unidade Educacional de Internação (UnEI), de Mato Grosso do Sul, onde ficará apreendido.

Leia mais sobre: violência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG