Uma das testemunhas de acusação não compareceu e audiência foi remarcada para 11 de agosto

O julgamento de Lamberto José de Carvalho Alves, um dos seis acusados de envolvimento na morte do bombeiro João Alberto da Costa, em 2006, foi adiado na tarde desta segunda-feira para o dia 11 de agosto. Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), uma das testemunhas de acusação não compareceu à audiência.

Costa morreu durante os ataques de uma facção criminosa que age de dentro dos presídios paulistas. Na época do crime, ele tinha 40 anos. Ele foi assassinado na madrugada do dia 13 de maio de 2006, na Alameda Barão de Piracicaba, bairro Campos Elíseos, onde funciona o 2º Grupamento de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

A ordem de execução teria partido de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, e Júlio César Guedes de Moraes, o Julinho Carambola, líderes da facção. Ao menos 48 agentes públicos do Estado foram mortos nos ataques durante o mês de maio. Em 5 de março deste ano, outros três acusados da morte do bombeiro foram absolvidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.