Adesão da Venezuela ao Mercosul será votada em 9/12

A votação do protocolo de adesão da Venezuela ao Mercosul no plenário do Senado foi adiada para o dia 9 de dezembro, quarta-feira. O acordo foi firmado entre governo e oposição em reunião de líderes realizada esta tarde.

Agência Estado |

Porém, os líderes firmaram apenas um acordo de procedimento, que diz respeito à data para votação do projeto. Ainda não há acordo de mérito acerca do projeto, e a oposição deverá votar contra a entrada da Venezuela no bloco comercial.

"Fizemos o acordo para votar o projeto no dia 9, mas apenas para votar, o que não significa que ele será aprovado. Vou reunir a bancada do DEM e conversar com o líder do PSDB para decidir se vamos apenas votar contra o projeto ou se vamos obstruir as votações para atrasar a votação do protocolo", disse à Agência Estado o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN).

O adiamento da votação do protocolo, além de agradar a oposição, que não deseja ver o projeto aprovado tão cedo, ainda converge com estratégia do líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), de evitar a análise de projetos polêmicos neste momento para evitar que a oposição se rebele contra outras votações de interesse do governo.

O projeto que inclui a Venezuela no bloco do Cone Sul foi aprovado pela Comissão de Relações Exteriores há quase um mês. A votação no plenário do Senado vem sendo adiada por dois motivos. A oposição é contra o projeto e promete atrapalhar a votação em plenário. Além disso, até mesmo senadores da base aliada fazem ressalvas à adesão do país governado por Hugo Chávez no bloco alegando haver restrição à liberdade de imprensa na Venezuela e afrontas à democracia.

Outro obstáculo enfrentado pelo líder do governo, Romero Jucá, na aprovação do protocolo é a falta de quórum em plenário nas últimas semanas. A antecipação das articulações pré-eleitorais tem deixado a Casa esvaziada. Na semana passada, em plena quarta-feira, dia usualmente cheio, apenas 37 dos 81 senadores compareceram à sessão. E, sem margem de segurança, o governo não arriscará votar o projeto em plenário.

O ingresso na Venezuela no bloco foi aprovado pela Argentina e pelo Uruguai, porém, o protocolo também precisa ser referendado pelo Paraguai, que adiou a votação para 2010, quando o Brasil já tiver encerrado o debate.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG