Ada Mello assume vaga de Collor no Senado; suplentes já são 22%

BRASÍLIA - Ada Mello tomou posse nesta segunda-feira como senadora pelo PTB de Alagoas, no lugar do ex-presidente Fernando Collor. O Senado está em recesso branco e realizou sessão plenária apenas para empossar a nova senadora.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico

Ada é prima de Collor e nunca foi candidata a cargo político. Ela assume a cadeira de parlamentar com o pedido de licenciamento de Collor por 120 dias, tempo em que irá cuidar da campanha do filho Fernando James à prefeitura de Rio Largo, cidade vizinha a Maceió. 

Ligada a entidades religiosas, Ada foi indiciada, em 1992, por desvios de verba da extinta Legião Brasileira de Assistência (LBA). A Justiça Federal condenou ela e a ex-primeira dama Rosane Collor por superfaturamento numa licitação para compra de leite em pó. 

Esta é a segunda vez que Fernando Collor pede licença do Senado, desde que foi eleito em 2006. Da primeira vez, quem assumiu a vaga foi seu primo e primeiro suplente, Euclides Melo. Euclides é candidato a prefeito da cidade alagoana de Marechal Deodoro.

Com a posse de Ada somam 18 (de um total de 81) os senadores sem voto. Ou seja: 22% das vagas. Pela regra eleitoral, a escolha do suplente de senador é prerrogativa apenas do titular do cargo. Já na Câmara dos Deputados, o suplente é o candidato mais votado no pleito em que foi eleito o titular.

Leia mais sobre: Fernando Collor

    Leia tudo sobre: collor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG