Acusados por mortes em presídio de RO são julgados

Primeira das seis sessões do julgamento dos 16 acusados por 27 mortes em presídio Urso Branco teve início nesta quarta-feira

iG São Paulo |

Foi iniciada nesta quarta-feira, em Porto Velho, a primeira das seis sessões do julgamento dos 16 acusados por 27 mortes na casa de detenção José Mário Alves, conhecido como Urso Branco. Dois deles, Michel Alves das Chagas e Anselmo Garcia de Almeida, são acusados pelo Ministério Público de liderar a chacina ocorrida em janeiro de 2002, na capital de Rondônia.

A violação aos direitos humanos no presídio rondoniense resultou na condenação do Estado brasileiro pela Corte da Organização dos Estados Americanos (OEA). Na época dos assassinatos, cerca de 1.300 detentos superlotavam a cadeia. Após uma tentativa frustrada de fuga, presos ameaçados de morte foram executados a golpes de armas artesanais, chamadas de "chuchos".

Dois promotores atuam no caso. Um dos réus é defendido pela Defensoria Pública. Anselmo, no entanto, desde ontem passou a ter duas advogadas, que chegaram a Rondônia na véspera do Júri, vindas do Rio de Janeiro. Os sete jurados sorteados permanecem incomunicáveis. Quatro são mulheres.

Neste primeiro dia, houve a leitura de algumas peças do processo, a pedido da defesa. Os réus depuseram à tarde. Todas as testemunhas indicadas pelo Ministério Público foram dispensadas. O debate entre promotores e advogados deve ser realizado amanhã. Michel e Anselmo negam a autoria dos crimes. Se condenados, a pena deve ser de 324 anos de cadeia. As sessões com o julgamento dos outros 14 réus deve ir até o final do mês.

    Leia tudo sobre: julgamentosistema carcerário

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG