Justiça determina investigação da contabilidade do PCC http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/30/policia_diz_que_tribunal_do_pcc_executou_22_este_ano_2087054.htmlPolícia diz que tribunal do PCC executou 22 este ano " / Justiça determina investigação da contabilidade do PCC http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/30/policia_diz_que_tribunal_do_pcc_executou_22_este_ano_2087054.htmlPolícia diz que tribunal do PCC executou 22 este ano " /

Acusados de integrar PCC são condenados por lavagem de dinheiro

SÃO PAULO - A Justiça de São Paulo condenou por lavagem de dinheiro quatro pessoas acusadas de serem integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). É a primeira sentença favorável obtida por promotores do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) da capital na tentativa de atingir os cofres da organização criminosa. Além da pena imposta aos réus, a juíza da 30ª Vara Criminal da Capital decretou a perda dos valores apreendidos em dinheiro, em favor da União. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/04/01/justica_determina_investigacao_da_contabilidade_do_pcc_1251410.htmlJustiça determina investigação da contabilidade do PCC http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/30/policia_diz_que_tribunal_do_pcc_executou_22_este_ano_2087054.htmlPolícia diz que tribunal do PCC executou 22 este ano

Agência Estado |

As investigações da Polícia Civil e do Gaeco começaram em agosto de 2006, após a série de ataques do PCC contra alvos civis e as forças de segurança do Estado.

A suspeita inicial era de que Wilson Roberto Cuba, o Rabugento, e Alexandre Euclides Palermo, o Catatau, haviam aberto diversas contas bancárias em nome de suas companheiras, a fim de ocultar o dinheiro arrecadado com o tráfico de drogas e a extorsão de parentes e presos dentro do sistema prisional paulista. Na época, Palermo e Cuba se encontravam presos na Penitenciária de Mirandópolis, no interior.

A quebra do sigilo bancário dos acusados revelou uma intensa movimentação financeira, principalmente entre janeiro e agosto de 2006. Com a ajuda de técnicos do Laboratório de Lavagem de Dinheiro do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), do Ministério da Justiça, os promotores descobriram que pouco mais de R$ 101 mil passaram pelas contas correntes dos acusados no período investigado. Por fim, a própria forma como foi concretizada a conduta delituosa em análise permite a segura conclusão acerca de existência de uma organização criminosa, escreveu a juíza.

(Com informações do jornal "O Estado de S. Paulo")

Leia mais sobre: membros do PCC

    Leia tudo sobre: justiçapcc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG