Dois irmãos acusados de furtar o Banco Central (BC) em Fortaleza, em 2005, entraram com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF). A defesa de Jeovan Laurindo da Costa e Raimundo Laurindo Barbosa Neto alega que o limite para o encerramento do processo foi ultrapassado, segundo o site do STF.

A prisão cautelar dos acusados dura mais de três anos e três meses. Neto é apontado como um dos líderes da quadrilha que assaltou o banco. Ele foi preso em setembro de 2006, em Parnaíba (PI), durante operação da Polícia Federal (PF).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.