SÃO PAULO - Anderson Batista, sua mulher, Conceição Eletério, e os irmãos Evandro e Everson Guimarães foram absolvidos nesta segunda-feira da acusação de extorquir o Padre Júlio Lancelloti. Em fevereiro, o Ministério Público encaminhou a denúncia à Justiça.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, o juiz Caio Farto Salles, da 31ª Vara Criminal de São Paulo (Barra Funda), considerou os acusados inocentes. Não há maiores detalhes sobre a decisão, que corre em segredo de justiça.

O advogado dos quatro acusados ainda não se pronunciou sobre a absolvição.

O caso

O ex-interno da Febem Anderson Marcos Batista, de 25 anos, e a sua companheira, Conceição Eletério, de 44, são acusados de formação de quadrilha para extorquir o Padre Lancelotti. Eles teriam coagido o religioso por meio de bilhetes com chantagem envolvendo acusação de exploração sexual, enviados pelos irmãos Everton e Evandro dos Santos Guimarães.

Batista, Conceição e mais dois homens estão presos cumprindo mandado de prisão preventiva. Eles foram ouvidos na semana passada pelo juiz Caio Farto Salles.

Famoso por seu trabalho em defesa dos moradores de rua, crianças portadoras do vírus da Aids e outros desfavorecidos, o Padre Júlio Lancellotti é um dos responsáveis pelas mudanças que levaram a Febem a mudar sua estrutura e seu nome, uma vez que sempre denunciou o desrespeito aos direitos humanos de seus internos.


Leia mais sobre: padre Júlio Lancelotti

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.