Acusado de violar painel de votação do Senado, Arruda renunciou em 2001

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, foi acusado, em 2001, de violar o painel do Senado na votação da cassação de Luiz Estevão, com Antônio Carlos Magalhães.

iG São Paulo |

No início, Arruda negou as acusações com um discurso incisivo na tribuna do Senado. Dias depois, voltou à tribuna para admitir culpa. Para não perder mandato, Arruda e ACM renunciaram.

Arruda voltou ao Congresso como deputado em 2002 e se elegeu governador do Distrito Federal em 2006.

Arruda começou a vida pública na Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital), na década de 70. Foi diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB), em meados dos anos 80. Assumiu a chefia de gabinete do governador Joaquim Roriz e foi secretário de obras do Distrito Federal.

Em 1994, foi eleito senador. Quatro anos mais tarde, concorreu ao governo do Distrito Federal, ficando em terceiro lugar.

Assista ao vídeo em que Arruda admite a violação ao painel do Senado:

Leia mais sobre Distrito Federal

    Leia tudo sobre: arruda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG