Acusado de pedofilia é indiciado em quatro inquéritos

O técnico em informática Marcelo Adriano Barbosa, de 42 anos, foi indiciado, na tarde de hoje em quatro inquéritos por atentado violento ao pudor e pornografia infantil. De acordo com o delegado responsável pelos inquéritos Giovani Sesti Moschini, do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), o acusado admitiu os crimes, após ser interrogado na sede do Deic, em São Paulo.

Agência Estado |

Ele explicou que o técnico também responderá, em um dos casos, por corrupção de menores. "Para uma das vítimas, ele fez diversas promessas para conquistar a confiança e depois atrair as outras meninas", comentou o delegado.

Moschini confirmou que Barbosa, ao ser qualificado criminalmente, declarou ser técnico em informática. Para três vítimas e parentes delas, ele afirmava ser pediatra. Porém para a ex-namorada, madrinha da criança violentada pelo acusado, afirmava ser engenheiro eletrônico. O delegado disse que ainda aguarda os laudos sobre o conteúdo dos arquivos dos computadores de Barbosa. O acusado confirmou que enviava imagens das vítimas pela internet.

Barbosa foi preso no dia 5 de setembro em sua casa na Mooca, na zona leste de São Paulo. Ele teve a prisão decretada pela Justiça por 30 dias por envolvimento em crime sexual contra uma criança de 4 anos, segundo informações do Deic. O acusado, segundo o Deic, gravava a violência que cometia contra crianças. Barbosa desenvolvia projetos de informática e prestava serviço para escolas infantis. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, pornografia infantil é crime passível de pena de reclusão de dois a seis anos e multa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG