RIO DE JANEIRO ¿ Um dos acusados de participar na morte de três jovens do Morro da Providência, no Centro do Rio, entregues por 11 militares do Exército para traficantes do Morro da Mineira, no Estácio, zona norte, foi preso na manhã desta quinta-feira, em operação conjunta de policiais da 6ª DP (Cidade Nova) e 4ª DP (Central).

De acordo com a Polícia Civil o homem, ainda não identificado, foi preso no bairro de Chaperó, em Itaguaí, na Baixada Fluminense, e será apresentado nesta tarde.

Entenda o caso

AE/Marcos DPaula
Policiais do Exército e moradores em confronto
Marcos Paulo da Silva, de 17 anos, Wellington Gonzaga Costa, 19, e David Wilson Florença da Silva, 24, moradores do Morro da Providência, na zona Portuária do Rio, teriam sido entregues no sábado, dia 14, e mortos, menos de 12 horas depois, por traficantes do Morro da Mineira, no Catumbi.

Em depoimento ao titular da 4ª Delegacia de Polícia, delegado Ricardo Dominguez, alguns dos suspeitos teriam confessado o crime. Os jovens foram detidos pelos militares às 7h30 do sábado, quando voltavam de táxi de um baile funk, por desacato. Porém, o comandante da tropa determinou que eles fossem liberados após serem ouvidos.

Testemunhas afirmam que os rapazes ficaram sob o poder dos militares até as 11h30 e depois foram entregues a traficantes de uma facção rival a do Morro da Providência, onde os rapazes moravam, no Morro da Mineira, onde foram executados. Há denúncias de que as vítimas teriam sido vendidas por R$ 60 mil.

De acordo com o laudo do Instituto Médico Legal (IML), Wellington teve as mãos amarradas e o corpo perfurado por vários tiros. David teve um dos braços quase decepado e também foi baleado. Marcos Paulo morreu com um tiro no peito e foi arrastado pela favela com as pernas amarradas. Os corpos foram encontrados no lixão de Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Veja também:


Leia mais sobre: Morro da Providência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.