Acusado de matar e esquartejar inglesa vai a júri nesta quinta-feira em Goiânia

GOIÂNIA - Mohammed D´Ali Santos, de 21 anos, acusado de matar e esquartejar a inglesa Cara Marie Burke será submetido a júri popular na manhã desta quinta-feira, de acordo com o Tribunal de Justiça (TJ) de Goiás.

Redação |

Santos é acusado de homicídio qualificado por motivo fútil e sem

Futura Press
Futura Press
Cara Marie Burke, de 17 anos
oferecer oportunidade de defesa à vítima.

O jovem teria matado Cara, de 17 anos, a facadas no dia 26 de julho de 2008 em um apartamento em Goiânia. Segundo o Ministério Público (MP) do Estado, ele esquartejou a menina e ocultou partes do corpo. O casal teria chegado a viver junto, sem relacionamento amoroso, até que a menina se mudou para outro bairro por medo de Mohammed.

O acusado foi preso cinco dias após a morte e, segundo a polícia, confessou o envolvimento no assassinato. De acordo com o MP, no momento da prisão, ele teria oferecido R$ 70 mil para os policiais não cumprissem o mandado de prisão e o deixassem fugir. Partes do corpo de Cara foram encontradas às margens do rio Meia Ponte e no ribeirão Sozinha.

Avaliação psicológica

Segundo o Tribunal de Justiça, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara, presidente do 1° Tribunal do Júri de Goiânia, recebeu no último dia 7 o pedido da defesa de Mohammed.

Conforme o laudo da avaliação médica e parecer psicológico, o jovem é portador de transtorno de personalidade antisocial, que caracteriza uma pertubação de saúde mental, aliada à sua dependência de várias drogas. Em razão disso, ele necessitaria de um "tratamento multidisciplinar, psiquiátrico e psicológico, desenvolvido por terapeuta familiar, em ambulatório".

A avaliação considerou as perdas que Mohammed teve ao longo de sua vida, incluída a do seu pai, aos 2 anos, e a ausência da mãe, ocupada com trabalhos para sustentar dois filhos. Constatou-se ainda que o estudante esfaqueou as pernas do irmão mais velho quando tinha 10 anos e que, aos 15, ele se tornou dependente de drogas.

De acordo com o TJ-GO, a avaliação concluiu que a desestrutura familiar alterou a personalidade do estudante.

Veja matéria em vídeo sobre o julgamento de Mohammed:

Leia mais sobre: Cara Marie Burke

    Leia tudo sobre: esquartejado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG