Acusado de matar a avó tem pena reduzida para 29 anos

SÃO PAULO - Em um segundo julgamento, o estudante de Direito Gustavo Napolitano, de 27 anos, foi condenado nesta quarta-feira a 29 anos e 4 meses por ter matado a avó e a empregada a facadas, em novembro de 2002. A condenação se deu após um acordo entre o promotor e a defesa.

Agência Estado |

No primeiro julgamento, em 2006, o estudante havia sido condenado a 34 anos e 8 meses pelo duplo homicídio.

Desta vez, a acusação retirou três qualificadoras, reduzindo a pena. Em troca, os advogados de Napolitano abriram mão de pedir absolvição do réu com base num laudo de inimputabilidade (o acusado não teria consciência de que cometeu o crime). O jovem admitiu em interrogatório que estava drogado na hora do crime.

A juíza Giovana Furtado de Oliveira Tellini Camargo, do 1º Tribunal do Júri presidiu o julgamento. Participaram da sessão o promotor do caso, Hidejalma Muccio e os advogados de defesa Douglas Carvalho e Marcio de Oliveira.

(Com informações são do jornal "O Estado de S. Paulo")

Leia mais sobre: crimes

    Leia tudo sobre: condenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG