O fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de ser o mandante do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang, se entregou hoje à Polícia Civil do Pará, segundo a Agência Brasil. Na última quinta-feira, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou habeas corpus impetrado pela defesa do acusado.

Ainda segundo a Agência Brasil, Bida se apresentou hoje por volta das 6 horas na delegacia de Altamira, interior do Pará. Após fazer exames de corpo de delito, o fazendeiro foi levado para o Presídio Regional de Altamira. De acordo com a Polícia Civil, Bida ficará no presídio à disposição da Justiça, que pode determinar sua transferência para outro local.

Em 2007, Bida foi condenado a 30 anos de prisão. No entanto, um novo julgamento em 2008 inocentou o fazendeiro. O Ministério Público entrou com um recurso, e a Justiça paraense anulou a absolvição do fazendeiro e determinou nova prisão. A defesa de Bida entrou com um pedido de habeas corpus no STF e conseguiu uma liminar que o manteve em liberdade até o julgamento do mérito na última quinta-feira.

Dorothy Stang foi assassinada com seis tiros em 12 de fevereiro de 2005 no município de Anapu, sudeste do Pará. A missionária trabalhava com pequenos agricultores pelo direito à terra e contra a exploração de grandes fazendeiros da região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.