Acusado de mandar matar Dorothy Stang é solto no Pará

O fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de mandar matar a missionária norte-americana Dorothy Stang, em fevereiro de 2005, em um assentamento em Anapu, no Pará¿, foi solto na tarde desta quinta-feira, segundo um funcionário da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Redação com Agência Brasil |

A liberdade do acusado está sujeita aos trâmites do processo, de

AP
Dorothy Stang foi morta no Pará em 2005
acordo com a liminar concedida  nesta quarta-feira (22) pelo ministro Arnaldo Esteves Lima, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Segundo o Tribunal de Justiça do Pará, Bida será levado novamente a júri popular. A expectativa é de que o novo julgamento ocorra no segundo semestre deste ano.

Bida ficou detido no Centro de Recuperação Regional de Altamira desde o último dia 9. Ele se entregou à polícia ao tomar conhecimento de uma ordem judicial de prisão, assinada pela desembargadora Vânia Lúcia Silveira, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Pará.

Antes disso, ele ficou em liberdade desde maio de 2008, quando a condenação a 30 anos de prisão (determinada em julgamento ocorrido em maio de 2007) foi anulada.

De acordo com o ministro Arnaldo Esteves Lima, a decisão não impede que nova prisão seja decretada se surgirem razões concretas que a justifiquem.


Leia também:

Leia mais sobre: Dorothy Stang

    Leia tudo sobre: dorothy stangdrothy stang

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG