Deve ser avaliado hoje pela desembargadora da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Gizelda Leitão Teixeira, o habeas corpus impetrado na sexta-feira pela defesa da procuradora de Justiça Vera Lúcia de SantAnna Gomes. A procuradora aposentada é acusada de torturar uma menina de dois anos de idade que estava sob sua guarda provisória durante processo de adoção.

Deve ser avaliado hoje pela desembargadora da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Gizelda Leitão Teixeira, o habeas corpus impetrado na sexta-feira pela defesa da procuradora de Justiça Vera Lúcia de SantAnna Gomes. A procuradora aposentada é acusada de torturar uma menina de dois anos de idade que estava sob sua guarda provisória durante processo de adoção.

Segundo o TJ, os autos chegaram ao gabinete da desembargadora no final do expediente de sexta-feira. Ela disse considerar o assunto muito delicado, merecendo um estudo apurado e criterioso.

Vera Lúcia teve a prisão preventiva decretada na quarta-feira pelo juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, em exercício na 32ª Vara Criminal da capital. Na ocasião, o magistrado reconsiderou decisão anterior que previa a ida dos autos para o 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher e recebeu a denúncia do Ministério Público Estadual.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.