Acordo salarial descarta greve em aeroportos no Natal

Em audiência realizada hoje no Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT-SP), os sindicatos de aeroviários, o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) e o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) aceitaram o reajuste de 6% nos salários das categorias. O índice representa 1,76% de aumento real sobre os salários.

Agência Estado |

Com a decisão, os trabalhadores descartam fazer greve nos dias 23 e 24 de dezembro.

As entidades assinam a renovação das convenções coletivas no dia 17, às 10 horas, na sede do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), no Rio de Janeiro. Os sindicatos foram autorizados a aceitar a proposta do MPT-SP, de 6%, em assembleias de trabalhadores realizadas ontem. A primeira audiência no MPT-SP foi no dia 10.

"Apesar do índice acordado ser 4% menor que o reivindicado pelas categorias, os sindicatos consideram que o movimento foi vitorioso, uma vez que o aumento real conquistado este ano foi maior que o de 2008, de 0,7%. Caso o índice fosse rejeitado hoje, as negociações poderiam ser encerradas e levar a uma ação de dissídio na Justiça", informaram os sindicalistas, em nota à imprensa.

Além do SNA, representam os trabalhadores do setor o Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre, Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos, Sindicato dos Aeroviários de Pernambuco, Sindicato Nacional dos Aeroviários, todos ligados à CUT, assim como o Sindicato dos Aeroviários no Estado de São Paulo e Sindicato dos Aeroviários da Amazônia, ligados à Força Sindical. A Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac/CUT) congrega os sindicatos cutistas do setor e acompanhou todas as negociações.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG