Acordo prevê que Goiás invista no sistema prisional

Termo de Ajustamento de Conduta prevê que governo realize diagnóstico das unidades do sistema prisional e apresente propostas de melhoria

AE |

selo

O governo de Goiás terá de investir no sistema prisional nos próximos meses. A medida foi determinada nesta quinta-feira em um Termo de Ajustamento de Conduta assinado por autoridades políticas e o Ministério Público Estadual e Federal.

Segundo os acordos, o governo terá de realizar, em um prazo de três meses, um diagnóstico da atual situação de todas as unidades do sistema de execução penal e apresentar propostas para resolver os problemas detectados.

Nos próximos meses, o governo também deverá criar o Centro de Excelência do Sistema de Execução Penal, ministrar Curso de Formação de Diretores de Unidades Prisionais, adquirir armamentos e implementar o Projeto de Modernização, Aparelhamento e Reaparelhamento do Serviço de Inteligência de Justiça.

Novas unidades prisionais também serão construídas nas cidades goianas de Anápolis, Águas Lindas, Formosa e Novo Gama. De acordo com o documento, a soma dos investimentos possíveis apenas com os repasses federais ultrapassa R$ 60 milhões. A execução dos TACs será acompanhada pelo MPF e MPE.

    Leia tudo sobre: sistema prisionalgoiás

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG