ACM Neto deve ser eleito para 2a vice e corregedoria da Câmara

BRASÍLIA (Reuters) - O deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) deve ser eleito nesta quarta-feira para a segunda vice-presidência da Câmara. O cargo acumula a corregedoria da Casa. Indicado pelo DEM nesta terça-feira, o deputado recebeu adesão de outros partidos. A necessidade de nova eleição decorre da renúncia do deputado Edmar Moreira (DEM-MG), que deixou a segunda vice-presidência e a corregedoria depois que veio a público que ele teria omitido da Justiça eleitoral a propriedade de um castelo avaliado em 20 milhões de reais, localizado em São João Nepomuceno, interior de Minas Gerais.

Reuters |

Ele também é acusado de apropriação indébita de contribuições previdenciárias de funcionários.

Moreira foi escolhido pelos deputados em 2 de fevereiro, juntamente com a nova direção da Câmara. Ele renunciou no último domingo, dia 8. Pelo critério da proporcionalidade das bancadas, cabe ao DEM indicar um novo nome.

Depois do episódio, a Câmara discutiu a possibilidade de separar a corregedoria e a segunda vice-presidência, mas o assunto não foi adiante por falta de acordo entre os líderes dos partidos.

Para o DEM, a desvinculação da corregedoria enfraqueceria o cargo. "Por que dividir entre duas pessoas o que já vem sendo feito por uma?", questionou o líder do partido, deputado Ronaldo Caiado (GO).

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), anunciou a criação de uma comissão especial para analisar a proposta de desmembramento, o que só valeria para a próxima legislatura, em 2011.

O DEM adiou desta terça-feira para quinta a reunião da Executiva do partido que vai analisar a decisão de expulsar Moreira.

O deputado se antecipou à decisão da Executiva e apresentou na segunda-feira ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) seu pedido de desfiliação por justa causa. Ele alega perseguição partidária à sua candidatura, em decorrência da ameaça do partido em expulsá-lo.

O deputado pretende, com o recurso ao TSE, se resguardar quanto à possibilidade de perder seu mandato e se filiar a outra legenda.

(Texto de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG