RIO DE JANEIRO - O Detran RJ divulgou nesta segunda-feira um levantamento inédito que lista as 32 vias com maior índice de acidentes e o quantitativo de infrações de cada local. Nelas, somente em 2007, morreram 321 pessoas e outras 4.520 ficaram feridas.

Os números mostram que a avenida Brasil é a mais perigosa: nos seus 58 quilômetros, 131 motoristas e passageiros perderam a vida e 1.363 ficaram feridos em acidentes registrados entre janeiro e dezembro do ano passado.

A divulgação das principais ruas e avenidas e estradas que cortam o município do Rio de Janeiro e que compõem o mapa da morte, segundo o presidente do Detran, Antônio Francisco Neto, serve para alertar o motorista sobre os pontos mais perigosos do trânsito e conscientizá-lo sobre a necessidade de assumir uma mudança de atitude.

- Nossa intenção é alertar a todos sobre os pontos mais críticos, para que haja uma mudança de atitude e o número de vítimas seja reduzido. Por isso, temos insistido maciçamente também na campanha Imprudência, não, amplamente divulgada na imprensa e nas estradas, por outdoors ¿ afirmou o presidente do Detran.

De acordo com o relatório, a segunda via mais violenta é a avenida das Américas, na Barra da Tijuca, na zona Oeste, com 31 óbitos e 454 feridos, seguida da avenida Presidente Vargas, no centro, com 15 mortes e 252 feridos, e a avenida Cesário de Melo, em Campo Grande, na zona Oeste, com 15 óbitos e 201 feridos no ano de 2007.

Estatísticas do Detran mostram que sete pessoas morrem por dia no trânsito do Rio. Para a coordenadora de Estatísticas do órgão, Alda Araújo, o número de óbitos pode ser ainda maior, já que muitos feridos morrem em hospitais e não entram na conta.

- Em 2007, 35 mil pessoas ficaram feridas no trânsito em todo o estado do Rio e outras 2.500 morreram. Mas o número oficial pode chegar a 2.800, 8,1% a mais que em 2006 ¿ explicou Alda.

O grande volume de multas aplicadas a motoristas nas 32 vias incluídas no relatório do Detran prova que as infrações ainda não ajudam a salvar vidas. A avenida das Américas é a campeã, com 103.960, seguida pela Presidente Vargas (88.232), Brasil (46.633) e Vieira Souto (40.339), em Ipanema, na zona Sul.

- Multa e arrecadação não se traduzem em educação no trânsito. É preciso maior consciência de todos ¿ alertou Neto.

Leia mais sobre: acidentes de trânsito

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.