Acidente em plataforma da PETROBRAS suspende produção

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma falha na válvula de bloqueio da plataforma P-34 da Petrobras, no campo de Jubarte, na bacia de Campos, provocou a morte de um funcionário da UTC Engenharia, que presta serviços à estatal, e ferimentos leves em outros dois, além de interromper a produção da unidade, informou a companhia. O acidente ocorreu no domingo, por volta das 23h15. Segundo a Petrobras, já estão sendo tomadas medidas para a retomada da produção de 40 mil barris diários de petróleo, o que deve ocorrer nas próximas horas. A empresa afirmou que já iniciou a apuração da causa do acidente.

Reuters |

"A Petrobras já comunicou a ocorrência aos órgãos competentes e instaurou comissão técnica para analisar as causas do acidente", informou em comunicado nesta segunda-feira.

Este não foi o primeiro problema da unidade. Em outubro de 2002, depois de uma pane elétrica, a P-34 chegou a correr risco de afundar, adernando 40 graus em meia hora, mas foi estabilizada em poucos dias e desde então operava sem problemas.

Em 2001 a Petrobras perdeu a P-36, que afundou na bacia de Campos após três explosões e deixou 11 mortos.

Segundo uma assessora de imprensa, ainda não está claro como ocorreu o acidente na P-34, mas foi descartada explosão ou incêndio no local.

A P-34, um navio-plataforma situado na costa capixaba, realizou a primeira extração de petróleo na camada pré-sal brasileira, uma faixa que se estende por 800 quilômetros do Espírito Santo a Santa Catarina e que pode conter reservas de bilhões de barris de petróleo e gás natural.

Com capacidade para produzir 60 mil barris diários de petróleo e 600 mil metros cúbicos de gás por dia, o navio-plataforma ainda consegue armazenar 300 mil barris de óleo. A unidade já produzia na camada pós-sal

(Por Denise Luna)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG