Acareação entre Dilma e Lina não preocupa PT e base aliada

BRASÍLIA - A sugestão do vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), de realizar uma acareação entre a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, não parece causar grande efeito no partido do governo e na base aliada.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

  • Lina confirma que depõe no Senado sobre Dilma na terça-feira
  • Chefe de gabinete da Receita confirma declaração de Lina
  • Agência Estado
    Ex-secretária Lina
    Ex-secretária Lina Vieira
    Em uma típica sexta-feira no Congresso, quando a maioria dos parlamentares já está em suas bases eleitorais, é que a idéia do senador tucano ecoou: um debate frente a frente permite a busca da verdade com mais eficiência. Não estou preocupado com a ministra, mas com o dinheiro público.  

    A polêmica entre Lina Vieira e Dilma Roussef é sobre a declaração da ex-secretária de que ela teria se reunido com a ministra , que pediu a ela agilidade nas investigações da Receita Federal sobre as empresas da família Sarney.

    Para o vice-líder do governo no Senado, Gim Argello (PDT-DF), o pedido de acareação não faz sentido.  O pedetista alegou que não há preocupação nenhuma por parte do governo com este pedido, pois a ministra já negou que tivesse feito qualquer pedido à ex-secretária.  Teve ter sido alguma confusão da parte dela [de Lina Vieira], argumenta.

    Já o senador petista Eduardo Suplicy (SP) afirmou que irá recomendar que o líder do partido no Senado, Aloizio Mercadante, tenha uma conversa com a ministra. Pelo que conheço, ela terá toda a disposição para que a verdade seja esclarecida, aponta.

    Questionado se o formato de acareação seria o mais adequado para solucionar as dúvidas sobre o possível encontro, Suplicy acredita que ela [Dilma] saberá a melhor forma de fazê-lo.

    A ministra, por meio de sua assessoria de imprensa, não quis comentar o assunto.

    Provas

    O líder do DEM na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (GO), entrou com um pedido formal na última quinta-feira para que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, mostre todas as informações que possam confirmar ou não , a reunião com a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira no Palácio do Planalto, no final do ano passado. 

    No período de novembro e dezembro, foram requisitadas cópias das gravações do circuito interno de TV do andar no qual a ministra trabalha; da planilha de controle de veículos que passam pelo estacionamento do local, da agenda oficial da ministra e de uma possível agenda paralela de atividades. O prazo de resposta é de 30 dias.

    Leia também:

    Leia mais sobre: Dilma Rousseff

      Leia tudo sobre: dilma roussefflina maria vieirasarneysenado

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG