Os alvos foram empresas, agenciadores, transportadores e produtores de carvão sem autorização em 25 municípios

selo

Uma operação que desmontou a cadeia produtiva do carvão ilegal nas regiões de caatinga e cerrado nos Estados de Minas Gerais e Bahia, iniciada na última sexta-feira, embargou quatro siderúrgicas, aplicou quase R$ 56 milhões em multas e prendeu 39 pessoas. Além disso, foram apreendidos mais de mil toneladas de ferro-gusa, 73 caminhões, quase 3 mil metros de carvão e 22 armas.

Os alvos foram empresas, agenciadores, transportadores e produtores de carvão sem autorização em 25 municípios da Bahia e Minas Gerais. A ação conjunta foi realizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ministérios Públicos (MPs) dos Estados, Secretarias de Fazenda e do Meio Ambiente e polícias.

A extração ilegal de carvão no norte de Minas Gerais e oeste da Bahia é sustentada pelo comércio de créditos fictícios gerados em Estados da Amazônia, Centro-Oeste e do Nordeste, destinados a fabricação de parte do ferro-gusa produzido em diversos municípios.

O monitoramento do sistema de controle de Documento de Origem Florestal (DOF) mostrou cerca de 8 mil viagens de caminhões transportando carvão extraídos ilegalmente da caatinga e do cerrado, o que representa pouco mais de meio milhão de metros de carvão ou cerca de 19 mil hectares de vegetação nativa desmatados sem autorização.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.