Ação da PF que prendeu filho de governadora do RN gera 19 inquéritos

SÃO PAULO - Nesta quarta-feira, a Polícia Federal no Rio Grande do Norte divulgou a conclusão da Operação Hígia, destinada a desarticular um esquema criminoso que teria desviado R$ 36 milhões de contratos de prestação de serviços terceirizados na área de saúde. No total, durante as investigações, foram cumpridos 39 mandados de busca e apreensão (sendo dois na Paraíba e os demais no Rio Grande do Norte), bem como 13 mandados de prisão temporária. Entre os detidos está o filho da governadora do Rio Grande do Norte, Vilma de Faria, o advogado Lauro Maia.

Redação |

AE
Wilma de Faria é governadora de RN
Segundo a PF, o trabalho policial teve início há mais de ano, a partir de
documentos obtidos na Operação União - fornecidos pelo Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e Receita Federal.

Durante as investigações, a PF apreendeu uma grande quantidade de documentos e mídias de armazenamento eletrônico de dados, além de 15 veículos de luxo.

A PF informou em nota, que mesmo com a operação concluída, haverá novas investigações com a instauração de dezenove inquéritos policiais para apurar fatos.


Prejuízos

Segundo estimativas da PF, as condutas criminosas trouxeram sérios prejuízos à Administração Pública.

Polícia Federal
ddd
Parte do material apreendido
a) em relação ao Samu Metropolitano, somente no mês de março de 2008 o prejuízo foi de R$62.866,65, correspondente a 23,18% de R$ 271.177,69 do valor mensal contratado;

b) o contrato vinculado ao programa Farmácia Popular, celebrado com a empresa A&G, trouxe lesão de R$1.084.376,99, representando cerca de 51,3% do total executado, no período de 01/06/2006 a
31/06/2008;

c) o contrato vinculado ao programa Farmácia Popular, celebrado com a empresa Emvipol, representou prejuízo aos cofres públicos de cerca de 8,7 milhões de reais, no período de julho de 2006 até a presente data.

Contratos de higienização hospitalar

Os contratos de higienização hospitalar foram firmados com as empresas Líder e A&G. Segundo a PF, ainda não se chegou ao cálculo final do dano, mas análises preliminares apontam para quantia superior a R$ 1,7 milhões.

Presos durante a Operação Higia

Lauro Maia (filho da governadora)
João Henrique Lins Bahia (secretário interino de Esportes)
Maria Eleonora Lopes Castim (mulher do secretário de Segurança)
Anderson Miguel Silva
Jane Alves de Oliveira
Mauro Bezerra da Silva
Rosa Maria da Apresentação Figueira Caldas Câmara
Marco Antônio França
Ulisses Fernandes de Barros
Francisco Alves Souza Filho
Francinildo Rodrigues de Castro
João Antônio França de Oliveira
Hérberth Florentino Gabriel

Leia mais sobre: Polícia Federal

    Leia tudo sobre: operação higiapf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG