Sessenta pessoas foram denunciadas ontem pelo Ministério Público Federal de Mato Grosso, por trabalho escravo no Estado. Se somadas as quantidades de trabalhadores resgatados de todas as fazendas que tiveram seus proprietários denunciados, o total é de 683 pessoas.

As informações foram divulgadas pelo MPF.

A operação, resultado de uma mobilização dos procuradores da República de todas as unidades do MPF no Estado (Cuiabá, Cáceres e Sinop) para intensificar a repressão contra a exploração do trabalho escravo, resultou na propositura de 30 ações criminais.

Além das ações, outras medidas também foram adotadas, como a solicitação para que a Polícia Federal ou a Delegacia Regional do Trabalho inicie uma investigação, e o arquivamento daqueles procedimentos administrativos em que não ficou configurada a incidência de trabalho escravo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.