Ação antipirataria volta a fechar shopping popular de São Paulo

Oficiais de Justiça e representantes de marcas famosas deflagraram na manhã desta quarta-feira uma operação para apreender produtos pirateados na Galeria Pajé, região central de São Paulo.

iG São Paulo |

É a segunda vez, em menos de uma semana, que o local é alvo de uma ação contra a venda de produtos falsificados. Pelo menos seis marcas estão envolvidas na operação. São elas: Nike, Puma, Cassio, Nokia, Oakley e Chanel.

A galeria deverá permanecer o dia todo fechada para o cumprimento da ação cível, impetrada na 26ª Vara do Fórum Criminal de São Paulo pelo advogado Newton Vieira Júnior, que representa as marcas.

Ainda não foi divulgado o total de produtos apreendidos, mas a expectativa é de que sejam recolhidos ao menos 80 mil itens - entre relógios, celulares, óculos, tênis e artigos de perfumaria - em cerca de 200 lojas. 

A ação contra pirataria, que conta com pelo menos 120 pessoas, é acompanhada por policiais militares e transcorre sem incidentes até o momento.

A operação passada foi realizada na última quinta-feira e também suspendeu a comercialização da Galeria Pajé. Naquele dia, deixaram o local dois caminhões carregados com 16 mil itens, principalmente, roupas e tênis, informou o advogado Wellington Souza de Oliveira, que representa as marcas Adidas International e Reebock International.

Esses produtos falsos denigrem a boa fama que as empresas [fabricantes] conseguiram obter ao longo de muitos anos, afirmou Oliveira.

(*com informações da Agência Brasil)

AE
Policiais na região central de São Paulo
Policiais na região central de São Paulo

Leia mais sobre Galeria Pajé

    Leia tudo sobre: galeria pajé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG