Absolvição de Edmar faz deputado deixar Conselho

O deputado Nazareno Fonteles (PT-PI) renunciou hoje à vaga que ocupava no Conselho de Ética da Câmara, em protesto contra a absolvição do deputado Edmar Moreira (sem partido-MG) da acusação de mau uso da verba indenizatória. Fonteles chegou a relatar o processo contra o dono do castelo, como ficou conhecido Edmar, e pedir a cassação do mandato do parlamentar.

Agência Estado |

"Voto a favor da cassação é estranho. Como se usa tanto a retórica para tapar o sol com peneira. Essa decisão pesa para imagem do Conselho desta Casa. Comunico, portanto, que vou renunciar", avisou.

O Conselho aprovou hoje, por 9 votos a 3, o relatório do deputado Sérgio Brito (PDT-BA), que recomendava o arquivamento do processo disciplinar contra Edmar. Segundo Brito, o uso de verba indenizatória para o pagamento de serviços prestados por empresas de sua própria família só foi proibido a partir de 7 de abril deste ano. O relator considerou, então, que, até a publicação da portaria, o procedimento não era considerado infração pela Câmara. Edmar ficou conhecido por ter um castelo, avaliado em R$ 25 milhões, na zona da mata mineira. O imóvel está registrado em nome de dois de seus filhos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG