Abadia é condenado a 30 anos de prisão

SÃO PAULO - O traficante colombiano Juan Carlos Abadia foi condenado a 30 anos de prisão, nesta terça-feira, 1, pelo Tribunal Federal de São Paulo. Abadía cumprirá pena por quatro crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos.

Redação |

A esposa do traficante, Yessica Paola Rojas Morales, também foi condenada e ficará em reclusão durante 11 anos. Outras oitos pessoas ligadas à Abadia foram presas.

O juiz federal Fausto de Sanctis, que encaminhou a sentença, se manifestou contrário a extradição do traficante e afirma que ele deve pagar pelos crimes no Brasil.

No dia 13 de março, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por unanimidade, conceder a extradição do traficante colombiano para os Estados Unidos. O STF, ao conceder a extradição, impôs a condição prevista na Constituição do Brasil de que uma eventual prisão perpétua ou pena de morte contra ele nos EUA seria transformada em prisão por 30 anos, pena máxima prevista na lei brasileira.

O caso

O traficante colombiano é o líder da organização criminosa deflagrada pela "Operação Farrapos" e praticou diversos delitos no Brasil, dentre eles, o de lavagem de valores e crimes contra a fé pública.

Após sua chegada no País, no ano de 2004, teria arregimentado diversas pessoas que asseguraram sua permanência clandestina no Brasil, com vistos em passaportes falsificados.

Reprodução
Traficante tinha várias mansões em SP...
Segundo a Polícia Federal, mesmo escondido no País, Abadia não deixou de ser o todo-poderoso do cartel de drogas da Colômbia. Em uma das mensagens enviadas de São Paulo aos comparsas na Colômbia, o traficante alerta sobre a necessidade de mudar rotas da cocaína e autoriza a transferência de US$ 250 mil, que seriam para subornar autoridades da Colômbia.

A análise nos computadores de Abadia também revelou que ele fez nada menos que 78 plásticas no rosto e no corpo, durante os três anos de esconderijo no Brasil. Um criminoso de muitas identidades falsas e dono de um grande segredo. Peritos e policiais ainda não descobriram o paradeiro do dinheiro do traficante no Brasil: US$ 117 milhões, segundo as investigações.
Divulgação
...e também um jatinho particular

Alguns dos outros denunciados também teriam participado de suas ações, auxiliando-o na aquisição de diversos bens móveis e imóveis com recursos ilícitos advindos do narcotráfico internacional.

Nos EUA, o traficante responde acusações por lavagem de ativos, associação para o tráfico internacional de drogas e homicídios.

Leia mais sobre: Abadia

Leia também:

    Leia tudo sobre: abadiaabadía

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG