Rio de Janeiro, 24 out (EFE).- Com o principal show da noite desta sexta-feira marcado para as 21h locais, o público presente na Marina da Glória para as apresentações do primeiro dia da edição carioca do TIM Festival 2008 ainda era pequeno, cerca de 30 minutos antes da apresentação do rapper americano Kanye West, o nome de maior apelo pop do evento.

No entanto, na tenda para a qual um dos maiores nomes do gênero na atualidade foi escalado para fazer seu segundo espetáculo no Brasil - a primeira foi em São Paulo, no dia 22 -, aproximadamente 30 pessoas já aguardavam na fila pela abertura do espaço.

A estudante carioca de medicina Betina Teenbaum liderava o grupo dos que esperavam junto com mais três amigas. De tênis e com uma produção bem ao estilo de Kanye, as jovens, que pagaram metade do preço do ingresso para assistirem ao show, não pareciam decepcionadas com a pouca movimentação na área livre do evento.

Muito pelo contrário, estavam bastante animadas com a possibilidade de conseguirem um bom lugar junto ao palco.

"Queremos ficar na primeira fila. Se pudermos, subimos até no palco", disseram em coro.

Na opinião delas, o alto preço da entrada - R$ 250 a inteira - pode ter contribuído para o pequeno número de pessoas que esperavam o início do show. Mas a pouca divulgação em torno do artista e o fato de muitos não conseguirem associar os sucessos do músico a seu nome e imagem também ajudaram para isso.

Sobre o show em si, uma das maiores expectativas das quatro era que Kanye West cantasse "American Boy", sucesso do cantor com a cantora britânica Estelle, mas que não fez parte do show em São Paulo. EFE rd\sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.