Ponto de diversão em terra e na água em Brasília, noite no Paranoá esconde perigos

Dentro ou fora da água, a noite no lago Paranoá, em Brasília, tem vida agitada. O uso de bebidas alcóolicas por frequentadores de festas ou pela tripulação de embarcações traz alguns riscos que demandam cuidado redobrado de quem passeia pelo lago.

O velejador Marcelo Quintierre é um dos usuários do lago que reclama dos hábitos noturnos de parte de seus frequentadores. "À noite, isso vira uma terra de ninguém, vemos muitas pessoas bebendo nos barcos, navegando embriagadas, fazendo festas que podem causar acidentes. Esse é um dos problemas, que acaba por prejudicar quem usa o lago de maneira saudável. Além disso, a fiscalização é muito pequena depois de certo horário", disse.

Não é preciso ir longe para se encontrar um exemplo do problema. Na noite desta sexta-feira, uma lancha conduzida por um navegador com sinais de embriaguez - mas que se recusou a fazer o teste do bafômetro - colidiu com a proa recentemente içada do barco Imagination, que naufragou no último 22 de maio. O acidente deve atrasar o processo de retirada do barco naufragado da água, uma vez que bóias que ajudavam na sustentação foram danificadas.

Quem frequenta o lago fala que a realização de festas dentro de lanchas, com música alta e bebidas alcoólicas é algo usual. Um jovem que não que preferiu não se identificar disse que já participou de vários eventos assim.

Jovens consomem bebidas alcoólicas dentro de embarcações nas proximidades do Pontão Sul, em Brasília
Fellipe Bryan Sampaio, iG Brasília
Jovens consomem bebidas alcoólicas dentro de embarcações nas proximidades do Pontão Sul, em Brasília

"Uma das coisas que também fazíamos era beber, sair com a lancha de algum colega que nem tinha habilitação para irmos a festas em clubes sem pagar a entrada. Nós atracávamos no píer do clube e entrávamos. Às vezes, dava problema, outras não. Hoje está mais difícil fazer isso, pois os seguranças dos clubes estão fechando o cerco", disse.

A realização de festas na beira do lago é outra característica forte do Paranoá. Elas acontecem normalmente em clubes, mas também ocupam espaços públicos às margens do lago.

Também há locais com insfraestrutura de lazer para quem goste de aproveitar o lago sem se molhar. Um exemplo é o Pontão do Lago Sul. À beira do Paranoá, o espaço conta com segurança, uma série de bares e restaurantes, espaço para eventos e playgrounds para crianças.

O espaço é frequentado por pessoas de todas as idades, que se dividem de acordo com o tipo de bar ou restaurante que está à beira do lago. Com acesso também para as lanchas, há quem use o local como um pit-stop entre festas ou durante os passeios pelo lago.

Fiscalização

De acordo com a Marinha, uma equipe fica de prontidão 24 horas por dia para atender às chamadas no Lago Paranoá. Diz também que são realizadas inspeções navais nos dias e horários em que se é sabido haver um maior número de embarcações trafegando pelo Lago, inclusive no período noturno.

A instituição ainda informou que cerca de dois acidentes por ano acontecem no lago e que a Delegacia Fluvial de Brasília vem aumentando o número de inspeções realizadas no local. De acordo a Marinha, em 2010 houve um acréscimo de 50% nas horas de inspeção realizadas em relação ao ano de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.