70 anos de nascimento de Bruce Lee são lembrados ao redor do mundo

Explique às crianças que elas não devem tentar repetir em casa. E que não foi só por ter nascido no ano e na hora do dragão que o ator Bruce Lee (1940-1973) virou mito das artes marciais, capaz de pontapés e piruetas de fazer os inimigos da ficção voarem longe sem efeitos especiais.

Agência Estado |

Divulgação

Bruce Lee: mito das artes marciais

Deixe claro que as apuradas técnicas de kung fu que o lutador exibia no cinema eram resultado de muito treino e dedicação. (Aproveite para influenciar os pequenos com o bom exemplo: conta-se que, quando jovem, Lee se exercitava com os halteres em uma das mãos e estudava filosofia ao mesmo tempo, com o livro apoiado na outra.)
Feitas tais observações, você está pronto para aproveitar, em família, as atrações que começam a pipocar pelo mundo para celebrar os 70 anos de nascimento do ídolo. Mesmo que ainda faltem mais de sete meses para a data exata de seu aniversário, 27 de novembro.

No Festival de Cinema de Hong Kong, a exposição de pôsteres de filmes do ator foi um dos momentos mais fotografados e noticiados - Linda Cadwell e Shannon Lee, viúva e filha de Lee, compareceram à abertura. O evento terminou na semana passada, mas há um bom número de endereços para ver de perto as lembranças do astro. Da casa de seus ancestrais ao cemitério onde está enterrado, sem esquecer das estátuas e do Coliseu, em Roma.

Casa dos Ancestrais - Xiacun, China

A placa discreta na ruazinha apertada mal indica a entrada da casa de tijolos acinzentados na cidade de Xiacun, em Guangzhou, ao sul da China. Lar dos avós paternos de Bruce Lee, a residência guarda fotografias e objetos pessoais como um boneco de madeira usado nos treinos. Poucos fãs sabem da existência da casa ou se dão ao trabalho de ir até lá - o movimento de visitantes, segundo o governo local, ainda é baixíssimo.

Bruce Lee Paradise - Shunde, China

Terra natal da família paterna do ator, a cidade de Shunde investiu milhões para criar um parque cheio de lagos e aves raras, batizado de Bruce Lee Paradise. A cerca de 90 minutos de carro de Guangzhou por uma estrada poeirenta, o local começou a erguer uma estátua de bronze que deverá ter 12 metros de altura. Por enquanto, apenas as pernas estão prontas, devidamente trajadas com a calça do quimono. No parque há um museu com armas, livros e pôsteres de Lee.

Estátua de bronze 1 - Hong Kong

Inaugurada no dia em que Bruce Lee completaria 65 anos, a estátua de 2 metros de altura enfeita a Victoria Harbour, na orla de Hong Kong, cidade onde o ator viveu a maior parte de sua curta vida. A principal curiosidade a respeito do monumento é que ele foi erguido com dinheiro de fãs - que doaram, na época, um total de US$ 100 mil.

Estátua de bronze 2 - Mostra, Bósnia

Mais curiosa é a história da escultura de bronze do astro na cidade de Mostar, a maior do sul da Bósnia. Inaugurada na mesma semana da de Hong Kong, celebra a união em um país retalhado por disputas entre muçulmanos, sérvios e croatas. Segundo os idealizadores, a adoração a Lee é o único ponto em comum entre todos.

Calçada da Fama - Hollywood, Estados Unidos

Fica na altura do número 6.933, do Hollywood Boulevard, em La Brea, a estrela de Bruce Lee na Calçada da Fama. Foi inaugurada há 17 anos, em 1993.

Cemitério Lakeview - Seattle, Estados Unidos

A versão oficial diz que o ator foi vítima de um edema cerebral. Fãs gostam de acreditar em assassinato pela máfia. Bruce Lee morreu em Hong Kong, mas seus restos mortais estão em Seattle, onde deu aulas de kung fu. Ao lado de seu mausoléu no Cemitério Lakeview está o do filho, Brandon Lee, morto em 1993, aos 28 anos.

Boxe: Coliseu foi cenário de filme com Bruce Lee e Chuck Norris

Um Chuck Norris ainda jovem (tanto que nenhum fio da indefectível barba ruiva havia lhe apontado no rosto) tira e joga num canto a túnica do quimono branco. Do outro lado, é o físico esguio de Bruce Lee que emerge da roupa escura. O faixa preta de caratê e a lenda do kung fu alongam músculos e se preparam para o enfrentamento na cena decisiva de "O Voo do Dragão" (1972), entre colunas e paredes romanas erguidas no século 1º a.C.. Trata-se de nada menos que o Coliseu, em Roma, no papel de arena do confronto.

Os arcos e arquibancadas do monumento desfilam ao fundo em alguns momentos. Figurantes de luxo para os movimentos precisos da luta - considerada uma das melhores já filmadas - que se desenrola em um corredor do antigo cenário das disputas de gladiadores. Difícil é prestar atenção na arquitetura quando se tem o cabelo tigelinha de Norris em primeiro plano. Ou o cômico momento em que, em desvantagem, Lee agarra os pelos do peito do adversário. E assopra o chumaço que sobra em suas mãos. Em tempo: o ingresso para visitar o Coliseu, um dos monumentos mais concorridos da capital italiana, custa 15,50 euros(R$ 37). Informações: www.rome.info/colosseum.

    Leia tudo sobre: bruce lee

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG