Tamanho do texto

Ministro da Cultura e Esporte da Espanha disse que país disponibilizará ajuda de especialistas para reconstrução do prédio e obras para compor acervo

Governo espanhol  disponibilizará  quatro especialistas para ajudar na reconstrução  do Museu Nacional do Rio de Janeiro
Reprodução/Fernando Frazão/Agência Brasil
Governo espanhol disponibilizará quatro especialistas para ajudar na reconstrução do Museu Nacional do Rio de Janeiro

O governo espanhol irá ajudar o Brasil na recomposição do acervo do Museu Nacional do Rio de Janeiro, segundo nota do Ministério da Educação (MEC). A informação é do ministro da Cultura e Esporte da Espanha, José Guirao Cabrera, que é ex-diretor do Museu Nacional de Arte Reina Sofía.

Leia também: Alemanha promete € 1 milhão para reconstrução do Museu Nacional

O ministro afirmou que a Espanha “tem documentos históricos em seus museus e até mesmo fora de exposição, que devem ser relevantes ao Brasil", durante um encontro com o ministro da Educação, Rossieli Soares, nesta sexta-feira (15), em Madri. “Em reconhecimento a essa história, a Espanha ajudará o Brasil na recomposição do acervo ao Museu Nacional ”, ressaltou Cabrera.

Além da recomposição do acervo, Cabrera destacou que especialistas serão disponibilizados para auxiliar o País na reconstrução do prédio. Rossieli acrescentou que identificará os tipos de profissionais necessários e comunicará o Ministério da Cultura da Espanha.

Nesta semana, o governo francês também ofereceu ajuda ao Brasil e disse que irá enviar quatro especialistas ao Rio de Janeiro. A Alemanha e a França também se dispuseram a auxiliar no processo de recomposição do museu após o incêndio que destruiu grande parte de seu acervo.

Leia também: Museu Nacional não tinha certificado dos Bombeiros para funcionar

Etapas para recomposição do Museu Nacional 

Segundo relato dos vigilantes, fogo no Museu Nacional do Rio de Janeiro teria começado de cima para baixo
Tânia Rêgo/ABr
Segundo relato dos vigilantes, fogo no Museu Nacional do Rio de Janeiro teria começado de cima para baixo

Depois de ser consumido pelas chamas no dia 2 de setembro, o Museu Nacional do Rio de Janeiro será recomposto em um processo que contém quatro etapas, incluindo a possibilidade de cessão de um terreno próximo ao prédio afetado para o mantimento das atividades acadêmicas.

O MEC explicou que a primeira fase do projeto será dedicada à realização de intervenções emergenciais, como instalação de um toldo, escoramento de paredes, levantamento da estrutura, inventário do acervo e separação do que é possível encontrar nos escombros.

Já a segunda depende da conclusão da perícia da Polícia Federal no local. Assim que finalizada, as autoridades contratarão um projeto básico e, com base nele, implementarão o projeto executivo para “recuperação” do museu.

Leia também: "Acervo sobre história africana foi destruído", diz curadora do Museu Nacional

A terceira etapa consiste na ideia de usar a lei federal de incentivo à cultura, a Lei Rouanet, enquanto a quarta fase ocorrerá em paralelo com a obra de construção, ou seja, a recomposição do acervo. Vale mencionar que o governo pretende fazer uma campanha internacional para a doação e aquisição de acervos para o Museu Nacional .

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.