Tamanho do texto

Polícia Federal apreendeu 5,3 mil quilos de drogas e 532 armas de fogo e recuperou 902 veículos, em 350 mil abordagens, nos dia 11 e 12 de maio

Operação Tiradentes II foi coordenada pelo Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias e Corpos de Bombeiros
Rovena Rosa/Agência Brasil
Operação Tiradentes II foi coordenada pelo Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias e Corpos de Bombeiros

A Polícia Federal realizou nos dias 11 e 12 de maio a maior operação de segurança pública já realizada no Brasil. Segundo os dados divulgados nesta quarta-feira (12) pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, foram presas 4.981 pessoas, apreendidos 5,3 mil quilos de drogas e 532 armas de fogo e recuperados 902 veículos, em mais de 350 mil abordagens no âmbito da Operação Tiradentes II.

Leia também: Fachin autoriza inquérito que apura repasses de R$ 40 milhões a políticos do MDB

Além disso, os bombeiros fizeram 4,6 mil atendimentos pré-hospitalares de complexidades diversas, combateram 1.179 incêndios de diferentes proporções e salvaram 1.362 pessoas. A Operação Tiradentes II foi coordenada pelo Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil.

Durante a divulgação, Jungmann elogiou o trabalho das forças de segurança envolvidas na ação. Participaram da operação policiais militares e bombeiros militares. “São milhares de vidas salvas diariamente por bombeiros e policiais militares no Brasil, seja prevenindo assaltos, homicídios, acidentes e incêndios, ou mesmo agindo para minimizá-los”, disse Jungmann, em vídeo divulgado pelo ministério.

Leia também: Maior traficante de armas do Brasil se declara culpado nos Estados Unidos

 “Esse é um atestado da capacidade de coordenação e articulação das nossas polícias. Essa operação também serviu para elevar o nível de integração, conseguir uma melhor articulação entre as inteligências e mostrar a capacidade das nossas polícias militares e corpos de bombeiros de estar do lado da população”, afirmou o ministro sobre a Operação Tiradentes II.

* Com informações da Agência Brasil