Após novo acidente, Ministério Público pede interdição da Ciclovia Tim Maia

MPF já tinha solicitado a interdição da via por meio de ação civil pública; Agora, o pedido de liminar encaminhado à Justiça Federal prevê pena de multa diária de R$ 100 mil caso a prefeitura não cumpra a determinação
Foto: Reprodução / TV Globo
Novo trecho da ciclovia Tim Maia, na zona sul do Rio, desabou nesta quinta-feira (15) após forte temporal

Após o acidente de quinta-feira (15) em um trecho da ciclovia Tim Maia , no Rio de Janeiro, o Ministério Público Federal (MPF) pediu novamente a interdição da via, até que toda a estrutura seja reavaliada em procedimento de licenciamento ambiental corretivo. Ontem, um trecho de 30 metros da via, na altura de São Conrado, na zona sul, desabou em consequência da forte chuva que caiu no Rio desde a madrugada. Essa foi a segunda vez que um trecho da via desaba.

A primeira vez foi em abril de 2016, provocando duas mortes, em um trecho na Avenida Niemeyer. Em 2016, o MPF já tinha solicitado a interdição da ciclovia Tim Maia por meio de ação civil pública. Agora, no pedido de liminar encaminhado à Justiça Federal, a procuradora da República Solange Maria Braga Dias, indicou que, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, a interdição permaneça até concluída a avaliação, com exceção do trecho entre o Vidigal e o Leblon, que já existia antes da construção da via e depois foi incorporado ao projeto.

Solange Braga apontou a necessidade de urgência para que o município do Rio de Janeiro e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) não permitam a utilização da ciclovia. A procuradora destacou, ainda, que o Serviço de Alerta do Município não funcionou para realizar o fechamento prévio da via e que o trecho foi interditado pela Prefeitura do Rio apenas uma hora após o desabamento.

Leia também: “Eu já saí”, diz Pezão sobre consequências de intervenção em seu governo

“Desta forma, menos de dois anos após o desastre ocorrido em 2016, o município do Rio de Janeiro mostrou-se incompetente para garantir a segurança dos ciclistas e pedestres que transitam na ciclovia", disse. A decisão sobre a concessão da liminar será da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Temporal deixa rastro de destruição em toda a cidade

O temporal da madrugada de quinta-feira deixou vários bairros alagados, com rios transbordando e ruas e avenidas interditadas. A prefeitura decretou estágio de crise na cidade à 0h25, devido a “núcleos de chuva forte a muito forte, associados à atuação de áreas de instabilidade”, o que provocou um verdadeiro caos na cidade.

Pelo menos três pessoas morreram devido às tempestades. Duas vítimas morreram após um desabamento em Quintino Bocaiuva, na zona norte da cidade. E, em Realengo, um policial militar que ia para o trabalho morreu depois que seu carro foi destruído por uma árvore.

Leia também: Frente a intervenção federal, Roberto Sá pede exoneração da Segurança do RJ

A queda da ciclovia Tim Maia foi uma das diversas consequências das chuvas, que provocou ainda a falta de luz em vários bairros do Rio e também em cidades da Baixada Fluminense.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2018-02-16/ciclovia-tim-maia.html