Tamanho do texto

Incêndio ocorrido em 2013 em casa noturna matou 242 pessoas; cidade tem série de homenagens as vítimas, com exibição de documentário e caminhada

Incêndio na Boate Kiss, no dia 27 de janeiro de 2013, deixou 242 mortos
Wilson Dias/Arquivo Agência Brasil
Incêndio na Boate Kiss, no dia 27 de janeiro de 2013, deixou 242 mortos

A tragédia da Boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que interrompeu a vida de 242 pessoas, completa cinco anos neste sábado (27). O incêndio foi provocado por um integrante da banda Gurizada Fandangueiro, após acender um sinalizador que emitia fagulhas. Elas atingiram o teto feito de espuma, o que fez o local pegar fogo rapidamente, deixando 636 pessoas – a maioria jovem – feridas.

De acordo com o inquérito policial, 28 pessoas foram apontadas como responsáveis pelo acidente na Boate Kiss , entre elas os dois donos do estabelecimento, um músico e o produtor da banda. Além disso, quatro bombeiros foram denunciados. Um foi absolvido, dois condenados pela Justiça Militar por expedição de alvará e outro pela Justiça comum por fraude processual. Todos cumprem penas em liberdade.

Homenagens

A programação em memória da tragédia é grande e teve início na quinta-feira (25), com o lançamento do livro "Todo Dia A Mesma Noite" que ocorreu no Teatro 13 de Maio, em Santa Maria. Na sexta-feira (26), houve a exibição do documentário "Depois Daquele Dia" na Praça Saldanho Marinho, seguida por uma caminhada até o local onde a boate funcionava, além de vigílias e orações.

Leia também: Homem que empurrou passageira nos trilhos do Metrô em São Paulo é denunciado

Já neste sábado (27) - data que marca os 5 anos da tragédia - ocorreu um concurso público de projetos para a construção do "Memorial às Vítimas da Kiss", no Salão Azul do Conjunto 1 da Unifra; além de homenagens e cultos.

No último dia 21, a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) lançou uma campanha de financiamento coletivo para a construção do memorial no terreno onde funcionava a boate. O memorial será erguido no local onde funcionava a casa noturna para homenagear as 242 vítimas fatais do incêndio que ocorreu na noite de 27 de janeiro de 2013 no município da região central do Rio Grande do Sul.

Leia também: Passarela desaba sobre caminhão na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro

Recentemente, a demolição do prédio da Boate Kiss onde a casa noturna funcionava foi adiada pela prefeitura, após pedidos da associação. O vice-presidente da AVTSM, Flávio da Silva informou que a intenção "é manter o prédio até que o julgamento dos réus seja realizado". Além disso, ele serve como prova do incêndio. 

* Com informações da Ansa e da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.