Agente da Força Nacional é baleada durante tentativa de assalto no RN

Enviada a Natal para ajudar a conter onda de violência decorrente de greve de agentes de segurança, policial levou disparo de raspão na cabeça; governo estadual fez novo apelo para conseguir repasse de R$ 600 milhões da União
Foto: Reprodução/Twitter - @RnBoletim
Centros comerciais de Natal (RN) foram palco de arrastões após greve da PM; Força Nacional foi acionada

Uma agente da Força Nacional foi baleada durante tentativa de assalto na madrugada desta quarta-feira (27) em Natal (RN). Enviada ao Rio Grande do Norte para ajudar no policiamento durante a greve de agentes de segurança que já dura oito dias no estado , a policial foi atingida de raspão na cabeça e está internada em estado estável.

De acordo com a Polícia Militar do RN , a agente de 44 anos de idade estava retornando do batalhão, acompanhada por outro integrante da Força Nacional, quando a dupla foi surpreendida por três homens armados na zona leste de Natal. Os policiais reagiram e houve troca de tiros. Além da policial, um dos assaltantes também acabou ferido e foi encaminhado a um hospital da região. Os outros dois criminosos conseguiram fugir.

A população potiguar tem convivido com onda de violência devido à paralisação de policiais civis e militares em protesto contra o atraso no pagamento de salários e falta de condições de trabalho. O Ministério da Defesa enviou na semana passada 70 policiais da Força Nacional para fazer o patrulhamento nas principais cidades do estado devido à crise de segurança. Outros 120 agentes de tropas federais já estavam no Rio Grande do Norte.

O sindicato que representa os agentes da Polícia Civil decidiu nessa terça-feira (26) manter a paralisação, a despeito da decisão desembargadora do Tribunal de Justiça do estado que considerou o movimento ilegal e determinou o retorno imediato dos servidores ao trabalho . Já o sindicato que engloba os policiais militares do estado se reúnem nesta quarta-feira (27) em uma nova assembleia.

Governo tem ajuda federal barrada, mas vai recorrer

O governador do estado, Robinson Faria (PSD), chegou a divulgar um cronograma de pagamento dos salários atrasados, mas até o momento acertou apenas os vencimentos referentes ao mês novembro para os servidores que ganham até R$ 3 mil por mês.

O estado deve ainda o salário de dezembro e o 13º (além do salário de novembro para quem recebe acima de R$ 3 mil mensais). Faria contava com o recebimento de R$ 600 milhões do governo federal, mas o repasse foi vetado pelo Ministério da Fazenda, que teme desencadear uma onda de pedidos de socorro financeiro de outros estados em dificuldade econômica.

O governo do RN anunciou que ingressará ainda nesta sexta-feira com recurso contra a manifestação do Tribunal de Contas da União (TCU) que barrou a transferência dos recursos federais. Em nota, o governo do estado informou que irá também pedir que o Ministério da Fazenda aguarde o julgamento desse recurso –o que deverá ocorrer só após o recesso anual do TCU, que termina em 16 de janeiro– para qualquer decisão final sobre a edição da Medida Provisória.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-12-27/rio-grande-do-norte-forca-nacional.html