Morre mais uma criança queimada em creche de Janaúba; já são dez vítimas fatais

Professora e agressor estão entre os mortos; ainda há dezenas de pessoas feridas, sendo muitos casos graves. Imagens mostram o desespero de pais no resgate dos filhos. A prefeitura da cidade decretou luto de sete dias
Foto: REPRODUÇÃO/WHATSAPP
Nas redes sociais, fotos mostram pais resgatando suas crianças na saída da creche em Janaúba

Morreu na manhã deste sábado (7) mais uma criança vítima do incêndio criminoso na creche em Janaúba, no norte de Minas Gerais, na última quinta-feira (5). A menina de 4 anos não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Com ela, o número de mortos chega a dez – sendo oito crianças, uma professora e o agressor.

Leia também: Criança é encontrada dentro de cela de pedófilo acusado de estupro no Piauí

Ontem, duas meninas, também de 4 anos, morreram em um hospital de Montes Claros. Segundo as informações das autoridades, 41 pessoas ficaram feridas no incêndio na creche em Janaúba .

Os 13 pacientes mais graves foram encaminhados para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, referência em queimaduras no estado. Tanto Cecília quanto Yasmin estavam internadas na Santa Casa Montes Claros. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, outras 11 vítimas seguem internadas no local, sendo nove crianças, todas em estado grave.

O que se sabe até agora

Segundo a Polícia Militar, o guarda Damião Soares dos Santos, de 50 anos, jogou gasolina no próprio corpo e em algumas crianças. Depois, ateou fogo em todos. As crianças tinham entre quatro e seis anos, segundo os bombeiros.

O segurança não morreu no momento do ataque, mas sua morte foi confirmada na tarde da quinta-feira. Ele foi levado para o pronto-socorro local em estado grave, com 90% do corpo queimado, mas não sobreviveu aos ferimentos. 

Mais cedo, o Samu havia afirmado que cerca de 40 pessoas procuraram auxílio médico. O crime aconteceu quando cerca 50 alunos estavam no recreio da creche "Gente Inocente", localizada no bairro Rio Novo.  

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil, mas ainda não há certezas sobre o motivo do crime. Há indícios de que o guarda é um funcionário público e que agiu em represália a sua exoneração. Também foram apontados possíveis problemas psicológicos sofridos pelo agressor. 

A prefeitura da cidade no norte de Minas Gerais decretou sete dias de luto por causa do incêndio criminoso, que chocou todo o País na manhã da quinta. 

Resgate dos alunos 

Nas redes sociais, fotos e vídeos do momento em que alguns pais resgataram suas crianças na saída da creche foram divulgados. 

Leia também: Corpos de mais duas crianças são encontrados no Rio Xingu; mortes chegam a 23

Momentos após a tragédia

Logo depois da ocorrência do incêndio, duas unidades do Samu foram ao local e equipes de cinco cidades da zona Norte de Minas Gerais  se deslocaram para atendimento da ocorrência.

Embora uma corrente nas redes sociais indique que o Hospital Regional de Janaúba, para onde as vítimas foram encaminhadas, esteja precisando de mais profissionais de saúde, ao jornal O Globo , o diretor assistencial da unidade negou tal informação.

"Estamos com a equipe okay para atender os feridos. Estão à disposição 30 médicos, 30 enfermeiros e 50 técnicos de enfermagem", disse Helton Ricardo Mendes ao jornal.

Leia também: Escola desaba com terremoto no México e deixa mais de 30 crianças mortas

Nas redes sociais, a população pediu a doação de luvas, dipirona injetável, soro fisiológico, sulfadiazina de prata (pomada bactericida usada no tratamento de queimaduras), agulhas, seringas, cateter do tipo Jelco e pomadas para as vítimas da creche em Janaúba.

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-10-05/creche-em-janauba-fogo.html