Intenso tiroteio motivado por disputa entre traficantes da facção Amigos dos Amigos (AD) deixou ao menos três mortos e três feridos ao longo desse domingo; Batalhão de Choque prendeu hoje criminosos com duas granadas

Operação policial na Favela da Rocinha se dá no dia seguinte a intenso tiroteio entre traficantes da região
Divulgação/PMERJ
Operação policial na Favela da Rocinha se dá no dia seguinte a intenso tiroteio entre traficantes da região

As forças de segurança do Rio de Janeiro realizam nesta segunda-feira (18) uma grande operação na favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul, um dia após intenso tiroteio entre traficantes da região  causar pânico entre moradores e deixar ao menos um morto e três feridos. Além da pessoa que morreu vítima de um disparo, foram encontrados hoje dois corpos carbonizados, que foram recolhidos pela Delegacia de Homicídios.

Policiais do Comando de Operações Especiais (COE) da PM do Rio – grupo que integra o BOPE, o Batalhão de Choque e o Grupamento Aero-Móvel – estão desde a madrugada dessa segunda-feira na favela da Rocinha , apoiados pelos agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da região.

Traficantes tomam lajes de casas durante tiroteio
Reprodução/Twitter
Traficantes tomam lajes de casas durante tiroteio

Até o momento, a Polícia confirma que foi detido ao menos três suspeitos, sendo que um deles estava em posse de duas granadas, além de uniforme das Forças Armadas. Também foram encontradas e apreendidas duas pistolas e quantidade ainda não mensurada de drogas.

De acordo com a PM, o grande tiroteio que se arrastou ao longo desse domingo (17) na comunidade ocorreu devido a uma disputa entre dois traficantes da facção Amigos dos Amigos (ADA): Rogério Avelino da Silva (Rogério 157), atual número um do tráfico na Rocinha, e Antônio Francisco Bonfim Lopes (Nem da Rocinha ), que está preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

"Os confrontos atuais se deram por um racha na aliança entre os traficantes Nem e Rogério 157 em razão da morte do criminoso Ítalo de Jesus Campos, conhecido como Perninha, a mando de Rogério 157, em agosto passado", informou a PM em nota.

O comandante do tráfico na favela, Rogério 157, foi um dos presos pela invasão ao Hotel Intercontinental, em São Conrado, em 2010, mas libertado em janeiro de 2012 por uma decisão da Justiça.

Leia também: PF faz operação em SP contra grupo que fraudou ao menos 14 concursos públicos

Cenas de guerra 

Operação policial na Favela da Rocinha mobiliza BOPE, UPP, Batalhão de Choque e Grupamento Aero-Móvel
Divulgação/PMERJ
Operação policial na Favela da Rocinha mobiliza BOPE, UPP, Batalhão de Choque e Grupamento Aero-Móvel

Diversos moradores da comunidade usaram as redes sociais ao longo desse domingo para divulgar vídeos do confronto armado entre criminosos, que tomaram as lajes de casas como trincheiras para efetuar disparos contra seus rivais (assista abaixo). Muitos internautas relataram pelo Twitter que trata-se da maior troca de tiros ocorrida na favela em muito tempo.

A concessionária que administra o metrô do Rio de Janeiro chegou a fechar os acessos à estação São Conrado alegando "questões de segurança".

Ainda por conta dos confrontos desse domingo, muitas escolas e postos de saúde não abriram as portas nesta segunda-feira.


Em nota divulgada nesta segunda-feira, a Polícia Militar também fez questão de explicar vídeo que circulou nas redes sociais onde duas viaturas da PM são vistas estacionadas ao lado do local onde traficantes tomam dois carros de moradores para fugir do conflito (assista abaixo).

De acordo com a corporação, "tal ação foi determinante para evitar a exposição de vítimas inocentes em uma rua de movimentação intensa de pessoas e veículos".

A favela da Rocinha é considerada uma comunidade "pacificada" desde 2012, quando foi instalada a primeira base da UPP na comunidade, cuja área possui mais de 880 mil metros quadrados.

Assista abaixo ao vídeo dos traficantes tomando carros de moradores da Rocinha:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.